Ministère de la culture Inrap

Apresentação

Trailer de anúncio das Jornadas Nacionais de Arqueologia 2022

Jornadas Europeas de Arqueología (JEA):

Jornadas Europeas de Arqueología (JEA):

Desde 2010 que o Ministério da Cultura confia ao Inrap (Instituto Nacional de Pesquisas Arqueológicas Preventivas) a coordenação e a promoção das Jornadas Europeas de Arqueologia (JEA).

Durante as JEA, todos os atores da área da arqueologia mobilizam-se para dar a conhecer ao público os tesouros do património e os segredos da disciplina. Operadores de escavações, organismos de investigação, universidades, museus e sítios arqueológicos, laboratórios, associações, centros de arquivos e coletividades territoriais são incentivadas a organizar atividades inovadoras, originais e interativas para o grande público.


As JNAs expandiram-se para a Europa em 2019. Dezassete países participaram pela primeira vez.

 

Em 2020, as Jornadas Nacionais de Arqueologia da França tornaram-se as Jornadas Europeias de Arqueologia.

 

Tendo em conta a epidemia da COVID-19, a 11ª Jornadas de Arqueologia (JEA) não teve lugar na sua forma tradicional. No entanto, para celebrar a arqueologia com todos os públicos, o Inrap lançou, sob a égide do Ministério da Cultura, o evento #Archeorama. Para além de eventos com o público quando a situação sanitária o permitia, o evento #archeorama abriu a possibilidade de criação de eventos digitais e de valorização de recursos online: encontros de arqueólogos em directo em redes sociais, publicação de vídeos inéditos, conferências ao vivo, visitas virtuais a exposições, modelação 3D de objectos e sítios arqueológicos, etc.

 

Com mais de 1 400 iniciativas na Europa e a participação de 26 países europeus, estas JEA (Jornadas Europeias de Arqueologia) de 2021 foram um grande sucesso! Os países europeus voltaram a mobilizar-se fortemente para esta edição, propondo mais de 830 iniciativas, assinalando o sucesso destas jornadas. Mais de 570 eventos tiveram lugar em toda a França: abertura excecional de locais de escavação, atividades pedagógicas e lúdicas, aldeias arqueológicas, encontros com investigadores, visitas a laboratórios, exposições, projeções, etc. Durante estes três dias, o público pôde beneficiar de um excelente programa apresentado por todos os intervenientes da arqueologia.


A operação «#Coulisses de l'archéologie» (#Bastidores da arqueologia) foi um verdadeiro sucesso, com 32 novos eventos em toda a França, permitindo ao público descobrir locais ou coleções normalmente inacessíveis: reservas de museus, bastidores de exposições ou de laboratórios, oficinas criativas, oficinas museológicas, etc. 

 

Vídeo: oficina de iniciação à ciência da cerâmica para estudantes; os estudantes escavam e desenterram fragmentos de cerâmica que têm de organizar para descobrir um objeto.

O Instituto Nacional de Pesquisas Arqueológicas Preventivas (INRAP)

Criado pela lei de 2001 sobre a arqueologia preventiva, o Institut national de recherches archéologiques préventives é um estabelecimento público sob a tutela dos ministérios franceses da Cultura e da Investigação. Os seus 2.200 agentes, distribuídos por 8 direções regionais e inter-regionais, 42 centros de investigação e uma sede em Paris, fazem dele o maior operador da investigação arqueológica europeia.

 

Compete-lhe assegurar a deteção e o estudo do património arqueológico a montante das intervenções de ordenamento do território. A sua ação abrange todo o território francês, para todos os períodos, desde a pré-história até aos nossos dias. Tem intervenção em qualquer tipo de contexto: urbano, rural, subaquático e submarino, no traçado das autoestradas e linhas férreas, e nas redes elétricas ou de gás.

Realiza anualmente cerca de 1.800 diagnósticos arqueológicos e mais de 200 escavações em nome de entidades privadas e públicas, em França e nos respetivos territórios ultramarinos.

 

Após a conclusão dos estaleiros, o Inrap assegura a análise e a interpretação dos dados das escavações e a sua difusão junto da comunidade científica. Maior gerador de dados e de publicações arqueológicas em França e na Europa, o Instituto contribui de forma determinante para o desenvolvimento do conhecimento arqueológico e histórico, bem como das grandes problemáticas contemporâneas: migrações, clima, ambiente, saúde, compreensão dos territórios, economia, etc.

 

As suas missões abarcam igualmente a divulgação do conhecimento arqueológico junto do público em geral. A este título, organiza numerosas iniciativas de valorização, na maioria das vezes em colaboração com urbanistas: visitas a locais de escavação, exposições, publicações, produção audiovisual, colóquios, etc. Todos os anos, no terceiro fim-de-semana de junho, em todo o território nacional e nos países membros do Conselho da Europa, organiza ainda as Jornadas Europeias de Arqueologia sob a égide do Ministério da Cultura, em parceria com organismos culturais e científicos públicos e com autarquias locais e regionais.

Objetivos do evento

As Jornadas Europeias de Arqueologia (JEA) destinam-se a incentivar os poderes públicos e os agentes arqueológicos a valorizarem o património arqueológico. Têm por base uma plataforma digital, journees-archeologie.fr, chamando a atenção do público para a multiplicidade e a diversidade dos patrimónios e das iniciativas relacionadas com a arqueologia na Europa. Visam ainda a promover a constituição de uma rede de intervenientes no domínio da arqueologia em todos os países membros do Conselho da Europa.


Os objetivos principais das JEA são:

  • sensibilizar os cidadãos europeus quanto à riqueza e à diversidade cultural da Europa;
  • aumentar a visibilidade da arqueologia junto dos diferentes públicos e dos meios de comunicação;
  • sensibilizar o público em geral e as autoridades políticas para a necessidade de proteção do património arqueológico;
  • permitir aos diferentes públicos a apreensão do mosaico das culturas europeias;
  • atrair novos públicos não habituados a visitar os locais onde se pratica a arqueologia;
  • promover junto do público toda a linha de intervenção da arqueologia, "desde a escavação até ao museu";
  • promover a partilha de conhecimentos entre os profissionais da arqueologia e os cidadãos europeus.

 

Nesse sentido, as JEA têm lugar anualmente no terceiro fim-de-semana de junho, em todos os países membros do Conselho da Europa.

-->