Imprimir o programa

Select your region or print the program.

88 resultados
Alentejo, Évora, Évora

CHAIA - CEntro de Historia de Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora

Palacio vimioso
Largo marques marialva 8
7000-809 Évora, Portugal

http://www.chaia.uevora.pt/pt

O CHAIA – Centro de História da Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora é uma Unidade I&D tutelada pela FCT – Fundação Para a Ciência e Tecnologia cujo principal âmbito de intervenção é o estudo das várias formas de que se reveste o legado histórico-artístico, paisagístico e monumental, para a consolidação do conhecimento dos modos em que se situam as expressões artísticas e dirigindo-se igualmente ao estudos e investigação da prática das Artes, da criação artística e da intervenção no espaço.

Contenido digital

Artigo/Paper Discussion Forum
This work continues the investigation published and aims to demonstrate the phenomenon of artistic creativity in clay as a process of the conscious and subconscious. To this end we will analyze aspects of this Art from its manifestations in the Paleolithic to the present day. Why did the paleolithic man elaborate so many “Venus” female figures in stone, bone and clay? What is the secret of the Paleolithic Venus?

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00Sábado, 19 de junho de 09:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00Sexta-feira, 18 de junho de 09:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00

Todos os públicos, Estudantes

Publico académico

Alentejo, Évora, Mora

Museu Interactivo do Megalitismo de Mora

Rua da Estação
7490-225 Mora

Decorrerá uma iniciativa online onde se pretende explicar o significado das “covinhas nos chapéus das antas.“

Alentejo, Évora, Torre de Coelheiros

Conjunto Arqueológico da Herdade das Murteiras

Torre de Coelheiros
Herdade das Murteiras

https://www.fea.pt/patrimonio-cultural/6246-conjunto-arqueologico

O Conjunto Arqueológico da Herdade das Murteiras integra, num espaço muito coerente, vestígios de povoados e de diferentes tipos de monumentos funerários, revelando uma interessante dinâmica de ocupação do espaço e de continuidade cultural, que abarca vários milénios.

A Herdade das Murteiras localiza-se num ambiente rural excecionalmente bem conservado, na fronteira entre duas realidades distintas que constituem uma síntese da paisagem regional.

Visita guiada

Visita Guiada
A Fundação Eugénio de Almeida associa-se às Jornadas Europeias da Arqueologia com a realização de uma visita ao Conjunto Arqueológico da Herdade das Murteiras.

Nesta visita, a arqueóloga Leonor Rocha (Universidade de Évora) e a química Cristina Dias (Universidade de Évora / Laboratório HERCULES) conduzem o visitante por alguns monumentos megalíticos que marcaram irreversivelmente a paisagem alentejana, mostrando como viviam as sociedades neolíticas.

Nota: A visita não inclui transporte. Os participantes deverão deslocar-se pelos seus próprios meios até à Herdade das Murteiras.

Ponto de encontro em Torre de Coelheiros, junto à bomba de combustível (coordenadas GPS: 38.410464º / -7.839297º).

Acesso grátis

Famílias, Adultos, Estudantes

Alentejo, Évora, Município de Estremoz

Museu Municipal de Estremoz

Largo Dom Dinis
7100-509 Estremoz

http://www.cm-estremoz.pt/pagina/turismo/museu-municipal-de-estremoz-prof-joaquim-vermelho

O Município de Estremoz irá assinalar este dia com uma visita guiada pelo centro histórico da cidade, com o objetivo de desvendar “marcas”, histórias, curiosidades… O que escondem as ombreiras das nossas povoações? Que histórias têm os monumentos para nos contar? Pedras que falam… “marcas” deixadas pelos nossos antepassados e que muitas vezes passam despercebidas e que iremos descobrir nesta visita.

Esta ação irá realizar-se no dia 18 de junho e destina-se à comunidade escolar, tendo como objetivo principal, dar a conhecer o património concelhio e sensibilizar os alunos para a importância da arqueologia, da preservação e valorização do património histórico e arqueológico.

Visita guiada

À descoberta de marcas do passado
O que escondem as ombreiras das nossas povoações? Que histórias têm os monumentos para nos contar?

Pedras que falam… “marcas” deixadas pelos nossos antepassados e que muitas vezes passam despercebidas e que iremos descobrir nesta visita.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 09:30 à 11:30

Estudantes

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Alentejo, Évora, Redondo

Enoteca de Redondo

Enoteca - Rua do Castelo
Redondo

Trata-se de uma exposição de fotografia sobre os trabalhos arqueológicos desenvolvidos no concelho com estudantes estrangeiros.

Exposição

Eles Andam aí!
No Verão, grupos de jovens, e por vezes menos jovens, do Mundo inteiro acorrem ao Redondo para participar em Programas de escavações arqueológicas no concelho. Da Serra d’Ossa a Santa Susana, muitas vezes em locais de difícil acesso, estes jovens participam na descoberta do Nosso Passado. Procuram igualmente uma experiência cultural que lhes dê a conhecer Portugal e o Alentejo, em especial no que temos de melhor: as gentes, a gastronomia, o vinho e as paisagens.
Esta exposição pretende dar a conhecer o trabalho que com eles o Município de Redondo tem vindo a desenvolver desde 2012.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 13:00 à 19:00

Todos os públicos

Alentejo, Portalegre, Monforte

Antigo Hospital da Misericórdia de Monforte

Rua Sérgio Rui Pedrosa Palma Madeira
7450-135 Monforte

Exposição virtual. Nela iremos trazer a público algumas das peças mais emblemáticas encontradas aquando a escavação arqueológica do antigo Hospital da Misericórdia de Monforte, edifício do séc. XVI.

Exposição

Exposição virtual dos materiais arqueológicos do Antigo Hospital da Misericórdia de Monforte
Nesta exposição virtual, que irá ser reproduzida em formato de PowerPoint, iremos trazer a público algumas das peças mais emblemáticas encontradas aquando a escavação arqueológica do antigo Hospital da Misericórdia de Monforte, edifício do séc. XVI.

Acesso grátis

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Alentejo, Portalegre, Avis

Entre pedras e pedrinhas | Circuito do Xisto

6320-069 Aldeia Velha

https://www.facebook.com/centrodearqueologiadeavis

O Centro de Arqueologia de Avis realiza, no próximo dia 20 de junho, uma visita ao conjunto megalítico dos Morenos, em Aldeia Velha.

A iniciativa pretende divulgar parte do Circuito do Xisto, a incluir no Roteiro Megalítico de Avis “Entre Pedras e Pedrinhas”.

Para esta visita, integrada no ciclo de caminhadas “Por trilhos do Mestre”, foi definido um itinerário que se desenvolve em paisagem protegida, inserida na Rede Natura 2000, potenciando assim outros valores patrimoniais e naturais desta zona do concelho.

Visita guiada

Entre pedras e pedrinhas | Circuito do Xisto
Dinamização do roteiro megalítico de Avis, com a realização de uma visita orientada ao conjunto megalítico dos Morenos, em Aldeia Velha.
As inscrições são limitadas e decorrem entre 31/05/2021 e até 18/06/2021.

Extensão: aproximadamente 8 km
Ponto de partida e chegada: Monte dos Borregos (39.087384, -8.047310)
Outros valores de interesse: Rede Natura 2000 – Sítio Cabeção, Ribeira de Santa Margarida, Albufeira de Montargil, património arqueológico, património construído e arquitectura religiosa
Recomendações: Aconselha-se o uso de vestuário e calçado adequado para caminhada

Para mais informações: arqueologia@cm-avis.pt.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:30 à 13:00

Todos os públicos

Alentejo, Portalegre, Avis

Mosteiro de São Bento de Avis

Pátio das Cisternas, 8
7480-121 Avis

https://www.facebook.com/centrodearqueologiadeavis

Erguido no século XIII, o Mosteiro de São Bento de Avis é o reflexo de vários séculos de vivências.

A reabilitação de algumas das fracções do conjunto viabilizou a realização de trabalhos arqueológicos de cariz preventivo.

Das acções realizadas destaca-se a intervenção, iniciada em 2012, e cujos resultados determinaram a implementação, desde 2014, de um programa de trabalhos arqueológicos, desenvolvido pelo Centro de Arqueologia de Avis, numa das fracções do mosteiro primitivo.

Exposição

Mosteiro de São Bento de Avis. Da intervenção preventiva ao programa de estudo e valorização
A exposição apresenta uma síntese dos trabalhos arqueológicos realizados pelo Centro de Arqueologia de Avis numa das fracções do mosteiro primitivo.

O circuito expositivo poderá ser complementado pela realização de visitas orientadas ao local de intervenção.

A exposição estará patente na biblioteca do Centro até 31 de agosto, de segunda a sexta, das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 16h30.

Para mais informações: arqueologia@cm-avis.pt.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 09:30 à 12:30 et de 14:00 à 16:30

Todos os públicos

Alentejo, Portalegre, Avis

Centro de Arqueologia de Avis

Pátio das Cisternas, 8
7480-121 Avis

https://www.facebook.com/centrodearqueologiadeavis

O Centro de Arqueologia de Avis, a funcionar desde 2011 numa fracção do conjunto monástico de São Bento de Avis, corresponde a um espaço científico e cultural que reúne as condições para o desenvolvimento da arqueologia à escala municipal.

Na sua actividade, o Centro mantem uma relação estreita com a comunidade, assegurada através da concretização de iniciativas diversificadas e orientadas para públicos distintos, que promovem a compreensão, a partilha e a participação.

Oficina

Avis a preto e branco
O Centro de Arqueologia de Avis lança, no dia 19 de junho, a II Mostra de Fotografia.

AVIS A PRETO E BRANCO pretende reforçar a ligação da comunidade ao património arqueológico local através da fotografia.

Tendo por base a participação directa do público, esta edição pretende explorar as potencialidades da fotografia a preto e branco para captar imagens e histórias em base fotográfica que terão como tema central o património arqueológico de Avis.

As condições para a participação serão divulgadas no dia 19 de junho. A recepção dos trabalhos decorrerá entre 19 de junho e 31 de julho.

As fotografias reunidas no decurso do evento serão exibidas em exposição em data a anunciar posteriormente.

Acesso grátis

Todos os públicos

Contenido digital

PATRIMÓNIO À MINHA PORTA?
Divulgação online dos trabalhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Avis no âmbito da iniciativa PATRIMÓNIO À MINHA PORTA?, integrada no programa educativo do Centro de Arqueologia de Avis.
A partir dos trabalhos realizados, será desenvolvido, entre os dias 22 e 29 de junho, um ciclo de conversas como alunos sobre património, memória, território e identidade.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de Sábado, 19 de junho de Sexta-feira, 18 de junho de

Todos os públicos

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo

Alentejo, Setúbal, Grândola

Melides

Melides
7570 Grândola

cm-grandola.pt

Percurso pedestre e visita guiada às grutas de Melides, anta da Pedra Branca e necrópole de cistas das Casas Velhas.

Visita guiada

Três mil anos na Pré-História (4500 - 1500 a.C.)
Uma paisagem partilhada ao longo de milénios, uma viagem pelos rituais da morte e celebrações da vida das comunidades pré-históricas.

Este é o mote para um percurso pedestre orientado (12 Km) com visitas às grutas de Melides, anta da Pedra Branca e necrópole de cistas das Casas Velhas.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:30 à 13:00

Todos os públicos

Alentejo, Setúbal, Torrão

Torrão

Praça Bernardim Ribeiro, n.º1
7595-044, Torrão

www.visitorrao.pt

Serão realizadas várias atividades sempre no âmbito da arqueologia destinadas a várias faixas etárias.

Exposição

Exposição ao ar livre: “O Património Arqueológico do Torrão“
Exposição fotográfica sobre arqueologia na Praça Bernardim Ribeiro no Torrão.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 00:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 00:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 00:00

Projeção

Cinema ao Ar Livre
Exibição na Sociedade 1.º de Janeiro Torranense do filme “A Grande Escavação“ (do ano de 2021).

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 21:30 à 23:30

Todos os públicos

Conferência

Palestra: “O que é isto de ser arqueólogo?!“
Palestra destinada aos alunos do 9.º ano do Agrupamento de Escolas do Torrão, com oradores do Mestrado de Arqueologia e Ambiente da Universidade de Évora.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:20 à 12:20

Estudantes

Estudantes

2.º e 3.º ciclo

Algarve, Faro, Faro

Museu Municipal de Faro

Largo Afonso III, nº 14
8000-167 Faro

www.cm-faro.pt

O Museu tem por missão a investigação, conservação, documentação, valorização, divulgação, aquisição e difusão dos testemunhos materiais e imateriais do Homem na área do concelho de Faro, numa perspetiva regional.

Conferência

Duas intervenções em Ossonoba
Duas conferências sobre recentes descobertas arqueológicas na cidade de Faro.

Esta iniciativa insere-se no âmbito das Jornadas Europeias da Arqueologia e pretende dar a conhecer aos munícipes as interessantes descobertas realizadas sobre a cidade antiga de Ossonoba e a sua evolução urbana.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 18:00 à 20:00

Adultos, Estudantes

Estudantes

Secundário

Algarve, Faro, Loulé

Cerro da Vila Museum and Roman Ruins

Avenida Cerro da Vila
8125-403 Vilamoura

https://www.vilamouraworld.com/cerro-da-vila-museum/

The route through the ruins provides an immersive experience of a typical Roman maritime villa (c. 1st – 5th AD). Inside the villa are mosaics, luxurious fountains (domus), public and private baths, fish sauces factories, funerary monuments (columbaria, inhumation graves) and highlights the existence of a fluvial port serving as a trading post.

Listed in the TOP 10 places to visit during a trip to the Algarve Region, Cerro da Vila Museum and Archaeological Site is the perfect cultural shelter in the 21st century cosmopolitan Vilamoura.

Contenido digital

A journey through human history in 625 objects !
In the museum, the temporal incursion begins with an on-site appreciation of the graves unearthed in Vinha do Casão cemetery, Vilamoura, Algarve (c. 12th – 10th BC), in a period that the south of the Iberian Peninsula focused their economy on the exploration and production of bronze metal.

In this time travel, demand goes through the Roman (c. 1st – 5th AD), and Islamic (c. 8th – 12th AD) period. Archaeological artifacts related to architecture, sculpture, commerce and death are shown, with many of them being unique in Portugal.

Acesso grátis

Todos os públicos

Algarve, Faro, Loulé

Museu e Ruínas Romanas Cerro da Vila

Avenida Cerro da Vila
8125-403 Vilamoura

https://www.vilamouraworld.com/pt-pt/ruinas-romanas-de-cerro-da-vila/

O percurso pelas ruínas proporciona uma experiência imersiva de uma típica villa marítima romana (séc. I – V d.C.), constituída por edifícios residenciais com mosaicos e luxuosos fontanários, balneários públicos e privados, fábricas de produção de preparados de peixe e monumentos funerários.

Realce-se a existência de um porto que serviu de entreposto comercial para a importação e exportação de produtos através das embarcações que navegavam entre os principais centros urbanos localizados na costa ocidental atlântica e mediterrânica.

Listado no Top 10 dos locais a visitar durante uma estadia no Algarve, o Museu e Ruínas Romanas Cerro da Vila são o refúgio cultural perfeito na cosmopolita Vilamoura do século XXI.

Contenido digital

Viagem através da História da Humanidade em 625 objetos !
No museu, a incursão temporal começa com a apreciação in loco das sepulturas exumadas no cemitério da Vinha do Casão, Vilamoura, Algarve (séc. XII – X a.C.), num período em que as comunidades humanas do sul peninsular centravam a sua economia na exploração e produção de utensílios de bronze.

Nesta viagem histórica, o foco vai naturalmente para os artefactos arqueológicos romanos (séc. I – V d.C.), e islâmicos (séc. VIII – XII d.C.), relacionados com a arquitetura, escultura, comércio e morte, sendo, muitas destas, peças únicas em Portugal.

Acesso grátis

Todos os públicos

Centro, Castelo Branco, Covilhã

Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior

Rua Marquês d'Ávila e Bolama
6200-001 Covilhã

http://www.museu.ubi.pt

Com a orientação científica do Professor Jorge Custódio, investigador da arqueologia e do património industrial em Portugal e, em particular, da Covilhã, será proporcionada uma visita guiada, aberta à comunidade, no dia 19 de junho, pelas 14h30, a quatro lugares da Covilhã, apelidada de “Cidade Fábrica“, detentores de património arqueológico alvo de ações de preservação e de salvaguarda: a Tinturaria setecentista pombalina (séc. XVIII) na Real Fábrica de Panos, classificada em 1982 como Imóvel de Interesse Público; as estruturas arqueológicas e a caldeira a vapor De Naeyer & Cie., na Real Fábrica Veiga; a caldeira a vapor Babcock & Wilcox da Tinturaria Alçada, na Tinturaria – Galeria de Exposições; e as estruturas arqueológicas da Fábrica António Estrela, na New Hand Lab.

Centro, Castelo Branco, Covilhã

Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior

Rua Marquês d'Ávila e Bolama
6200-001 Covilhã

http://www.museu.ubi.pt

Entrada livre e gratuita no Museu de Lanifícios e nos seus núcleos museológicos: Real Fábrica de Panos e Real Fábrica Veiga.

Os visitantes iniciam o percurso cultural “Da Manufactura à Industrialização dos Lanifícios“ na Real Fábrica de Panos e terminam na Real Fábrica Veiga, ficando a conhecer um território que, durante gerações e desde a Idade Média, viveu em torno do trabalho e da transformação da lã em tecido.

Visitam-se as tinturarias setecentistas e aborda-se a produção manufactureira de tecidos de lã até à evolução tecnológica, económica e social ocorrida nos lanifícios nos séculos 19-20, representada por uma importante coleção de máquinas, equipamentos, documentos e matérias-primas.

Centro, Castelo Branco, Fundão

Museu Arqueológico Municipal do Fundão

Rua do Serrão, 13-15
6230-418 Fundão

A Câmara Municipal do Fundão, através do Museu Arqueológico Municipal José Monteiro, associa-se às Jornadas Europeias de Arqueologia.
No dia 18 de junho, as celebrações terão inicio pelas 10 horas com a realização da Oficina de Arqueologia Experimental sob o tema “O quotidiano na Pré-história”, atividade dedicada ao público mais jovem, que terá lugar na Rua da Cale, uma das artérias mais emblemáticas da cidade do Fundão.
A Sala de Exposições Temporárias do Museu volta a abrir ao público com a exposição fotográfica “Igaeditanos“, da autoria do fotógrafo italiano Danilo Pavone.
Durante os 3 dias das Jornadas, as visitas ao Museu serão gratuitas, com a possibilidade de visita guiada ao longo do dia 18 de junho.

Dia aberto

Entradas gratuitas no Museu

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:30 et de 14:00 à 17:30Domingo, 20 de junho de 14:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 14:00 à 18:00

Todos os públicos

Oficina

O quotidiano na Pré-história
Oficina de arqueologia experimental que dá a conhecer o modo de vida dos nossos antepassados pré-históricos, através dos artefactos produzidos. A actividade será realizada na Rua da Cale, uma das mais emblemáticas da cidade do Fundão.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:30 et de 00:00 à 00:00

Crianças

Estudantes

Primária

Centro, Castelo Branco, Covilhã

Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior

Rua Marquês d'Ávila e Bolama
6200-001 Covilhã

http://www.museu.ubi.pt/

Visitas orientadas por um guia às duas exposições permanentes do Museu de Lanifícios, as Reais Fábricas de Panos e Veiga, instaladas em dois edifícios patrimoniais dos séculos 18 e 19.

Ao longo do percurso identificar-se um território, o da serra da Estrela e, em particular, da cidade da Covilhã, que, desde a Idade Média, esteve sempre associado à lã e aos lanifícios, em regime doméstico, na manufactura e na fábrica.

As visitas guiadas decorrem nos três dias, às 11h e às 15h, com o número limite de 15 participantes, por ordem de chegada ou por reserva prévia para o e-mail muslan@ubi.pt.

Centro, Coimbra, Condeixa-a-Nova

Museu Monográfico de Conímbriga - Museu Nacional

Museu Monográfico de Conímbriga
Rua das Ruínas, 7
3150-220 Condeixa-a-Nova

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/museus-e-monumentos/rede-portuguesa/m/museu-monografico-de-c

O Diretor-Geral da DGPC e o Diretor do MMC-MN têm o gosto de convidar para as atividades a desenvolver no âmbito das Jornadas Europeias de Arqueologia.

Em Conímbriga celebram-se 122 anos de investigação arqueológica com o início de sondagens arqueológicas na fachada Norte da Casa dos Repuxos e com programação diversificada, onde se incluem exposição de fotografia, comunicações, espetáculos de magia e peças de teatro.

Dia aberto

Conímbriga, 122 Anos de Investigação
16:00
Conímbriga - 122 anos de Investigação.
Auditório do MNC

Intervenções:
Sr. Diretor-Geral da DGPC - Bernardo Alabaça
Sr. Presidente da CM de Condeixa-a-Nova - Nuno Moita da Costa
Sr. Vice-Reitor da Universidade de Coimbra - Alfredo Dias
Sr. Diretor do MMC - MN - Vítor Dias

16:15
Conímbriga, 122 anos de Investigação do MMC-MN – Vítor Dias

16:30
Apresentação do Projeto de Investigação Plurianual de Arqueologia (PIPA):
Conímbriga MMXX: avaliação do potencial científico e patrimonial do Vale Norte de Conimbriga. Sondagens arqueológicas na fachada Norte da Casa dos Repuxos – Ricardo Costeira da Silva

17:00
Visita Guiada à exposição do MMC-MN - Virgílio Hipólito Correia

17:30
Visita ao local das sondagens arqueológicas
Porto Tónico d’Honra na Casa dos Repuxos
Période(s) archéologique(s) :

Antiguidade

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 16:00 à 18:00

Todos os públicos

Exposição

Palmira, a Rainha do Deserto
O Diretor-Geral do Património Cultural, o Diretor do Museu Monográfico de Conímbriga - Museu Nacional e o fotógrafo Luís Reina, têm o gosto de convidar V. Exa. para a inauguração da exposição de fotografia “Palmira, a Rainha do Deserto”, dia 19 de junho de 2021, às 16 horas, no peristilo do MMC-MN.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 18:00 (De 19 de Junho a 27 de Novembro)

Todos os públicos

Espetáculo

Antígona de Sófocles
Após o confronto dos dois filhos de Édipo, Etéocles e Polinices, que morreram às mãos um do outro numa luta pelo trono de Tebas, Creonte sobe ao poder. O seu primeiro édito diz respeito aos rituais fúnebres dos dois labdácidas. Foi promulgado que Etéocles receberia todos os rituais devidos aos mortos e aos deuses. Quanto a Polinices, foi declarado que o seu corpo ficaria sem sepulcro, entregue às aves de rapina. Antígona revela-se contra a vontade do novo soberano e é condenada a à morte.

Esta tragédia reflete o conflito entre as leis divinas, encarnadas em Antígona e as leis humanas, determinadas pelo árbitro de Creonte

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 17:00 à 18:00

Todos os públicos

Oficina

Escavações na Casa dos Repuxos
18 de Junho:
Apresentação do Projeto de Investigação Plurianual de Arqueologia (PIPA) com o Professor Doutor Ricardo Jorge Costeira da Silva do Instituto de Arqueologia da FLUC - UC.

21 de Junho:
Sondagens arqueológicas na fachada Norte da Casa dos Repuxos, coordenadas pelo Professor Doutor Ricardo Jorge Costeira da Silva do Instituto de Arqueologia da FLUC - UC.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 16:30 à 18:00 à 00:00 (Continuação dia 21 de Junho às 9h00)

Todos os públicos, Estudantes

Centro, Coimbra, Fornos de Algodres

Município de Fornos de Algodres

Estrada Nacional 16
Apartado 15
6370-999 Fornos de Algodres

https://pt-pt.facebook.com/clds4gservirfornos/

Jornadas Europeias de Arqueologia em Fornos de Algodres

Visita guiada

Dá mais tempo à vida... Pelos vestígios Históricos
Caminhada lúdica pela aldeia de Algodres com a inauguração do percurso pedestre Rota dos Miradouros com paragem em todos os monumentos históricos desta aldeia.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 08:30 à 12:00

Todos os públicos

Conferência

Ciclo de Conferências: A Importância da Arqueologia para o Turismo
Ciclo de Conferencias dedicado ao turismo e ao património arqueológico e sobre o que ambos podem beneficiar um com o outro.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 09:00 à 13:00

Adultos

Oficina

Concurso de Fotografia: Património Arqueológico de Fornos de Algodres
Concurso de Fotografia inserido na temática o Património Arqueológico de Fornos de Algodres

Acesso grátis

Todos os públicos

Oficina

Concurso de Desenho: Património Arqueológico de Fornos de Algodres
Concurso de Desenho inserido na temática o Património Arqueológico de Fornos de Algodres para os alunos do agrupamento de escolas de Fornos de Algodres

Acesso grátis

Crianças, Estudantes

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Recepção de grupo de alunos

“O que é a Arqueologia?“
Palestra e atividades lúdicas no âmbito da arqueologia e visualização de um bloco de curtas metragens do CINE ECO Seia para o 1º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 09:30 à 11:45 et de 14:15 à 16:30

Crianças, Estudantes

Estudantes

Primária

Centro, Coimbra, Aveiro

Museu da Cidade de Aveiro

Rua João Mendonça, 9-11
3800-200 Aveiro

http://www.cm-aveiro.pt

Sob os nossos pés ou oculto nas paredes dos edifícios da cidade, escondem-se registos das ocupações que nos precederam e que provam a ancestralidade da presença humana em Aveiro.

Uma viagem no tempo através dos vestígios materiais que a Arqueologia tem trazido à luz do dia, contribuindo para melhor conhecer as dinâmicas deste lugar, que se foi desenvolvendo em redor da Ria e fazendo uso dos recursos do território.

Exposição

Escrito sob o solo
A exposição propõe um percurso expositivo que apresenta alguns dos principais pontos de interesse arqueológico no concelho, identificados até ao momento, numa linha condutora que acompanha a evolução da ocupação humana no território que, atualmente, corresponde ao Município de Aveiro. Na área geográfica abrangida pela exposição, os vestígios mais antigos identificados remontam ao Paleolítico Superior, seguindo-se referências, por ordem cronológica, ao período Romano e, em linha evolutiva, chegando ao núcleo urbano, cujos trabalhos arqueológicos divulgados permitem vislumbrar a ocupação no período Moderno (séculos XV e XVI).

Com a entrada em vigor da revisão do Plano Diretor Municipal, em Dezembro de 2019, o número de intervenções arqueológicas tem vindo a aumentar e os princípios de estudo e salvaguarda do património arqueológico desenvolvem-se sistematicamente no núcleo urbano e nas freguesias, conforme mapa de sensibilidade arqueológica. Estes trabalhos em curso virão, sem dúvida, permitir a leitura de mais capítulos do passado.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 12:30 et de 13:30 à 18:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 12:30 et de 13:30 à 18:00Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:30 et de 13:30 à 18:00

Todos os públicos

Centro, Coimbra, Figueira de Castelo Rodrigo

Antiga escola primária do Bizarril

Bizarril
Figueira de Castelo Rodrigo

http://ribacvdana.wix.com/ribacvdana

Jornadas europeias da arqueologia 2021

FAZER COM TOD@S-POR UMA ARQUEOLOGIA SOCIALMENTE COMPROMETIDA

19 de junho,
Bizarril, Figueira de Castelo Rodrigo

15h00- Antiga Escola Primária do Bizarril
Apresentação da colecção “Cadernos do Património“ edição RIBACVDANA por José Paulo Francisco.

15h15- Apresentação do “Caderno N.º 1 Bizarril/Monforte“ por Filomena Barata.

15h30- Palestra a ser proferida por Alexandra Vieira: “Cruzando a arqueologia com a tradição oral em Figueira de Castelo Rodrigo“.

16H00- Visita guiada às ruínas do Castelo de Monforte por Tiago Ramos.

17H00- Visita guiada à Capela de Nossa Senhora de Monforte por Carlos Caetano.

18h00- Merenda comunitária no adro da Capela de Nossa Senhora de Monforte.

A seguir à merenda “Cantigas de Amor e Saudade“ por Carlos Pedro.

Projeção

Apresentação da colecção “Cadernos do Património“ edição da RIBACVDANA
Apresentação da colecção “Cadernos do Património“ edição da RIBACVDANA por José Paulo Francisco.

N.º 1 Bizarril_Monforte, apresentação por Filomena Barata.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:00 à 15:30

Todos os públicos

Conferência

“Cruzando a arqueologia com a tradição oral em Figueira de Castelo Rodrigo“
Palestra a ser proferida por Alexandra Vieira.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:30 à 16:30

Todos os públicos

Visita guiada

Visata guiada às ruínas do Castelo de Monforte por Tiago Ramos

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:30 à 17:30

Todos os públicos

Visita guiada

Visata guiada à Capela da Nossa Senhora de Monforte por Carlos Caetano

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 17:30 à 18:30

Todos os públicos

Degustação

Merenda partilhada no adro da capela da Nossa Senhora do Monforte

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 18:30 à 20:00

Todos os públicos

Espetáculo

“Cantigas de Amor e Saudade“ por Carlos Pedro

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 19:30 à 23:00

Todos os públicos

Centro, Coimbra, Coimbra

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Rua das Parreiras
3040-266 Coimbra

https://www.culturacentro.gov.pt/mosteiro-santa-clara-a-velha/

Mosteiro gótico, feminino (clarissas), séc XIV, fundado pela Rainha D. Isabel de Aragão.

Visita guiada

D. Maria de Menezes
Uma visita à biografia, ao modo de vida e ao esqueleto de uma das habitantes do Mosteiro.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 12:00 à 12:30 (Inscrição obrigatória através do email: mosteiroscvelha@drcc.gov.pt)Domingo, 20 de junho de 11:00 à 11:30 et de 15:00 à 15:30 (Inscrição obrigatória através do email: mosteiroscvelha@drcc.gov.pt)Sábado, 19 de junho de 11:00 à 11:30 et de 15:00 à 15:30 (Inscrição obrigatória através do email: mosteiroscvelha@drcc.gov.pt)

Todos os públicos

Espetáculo

Fim de semana no Paço Real
Recriação histórica do quotidiano no Paço Real.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 17:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 17:00

Todos os públicos

Conferência

Arqueologia Virtual - Conversa Online
Com Pablo Aparicio Resco.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 18:00 à 19:00

Adultos

Oficina

Oficina de Desenho Arqueológico
José Luís Madeira, Professor da Faculdade Letras da UC.

Obrigatória a inscrição através do email: mosteiroscvelha@drcc.gov.pt

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00

Adultos

Centro, Coimbra, Oliveira do hospital

Centro Interpretativo Bobadela Romana

1 rua João Borges de Brito 3405-017 Bobadela OHP

https://www.cm-oliveiradohospital.pt

Complexo de ruínas romanas classificado como Património Nacional desde 15 de abril de 1936. Destaque para o arco, entrada do Fórum, para o anfiteatro e para o Centro Interpretativo Bobadela Romana onde a história da “Splendidíssima Civitas“ é dada a conhecer ao visitante. Em anexo fica o Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva, mais de cariz etnográfico.

Circuito de descoberta

Prospeção Arqueológica de Superfície
Prospeção Arqueológica de Superfície na periferia da Cidade Romana de Bobadela, a Splendidissima Civitas. Análise, classificação e interpretação dos materiais encontrados.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 17:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 17:00

Todos os públicos

Oficina

Arqueologia Inclusa (puzzle didático)
Construção de tégulas e ímbrices em argila tendo por modelos fragmentos encontrados em prospeções e escavações arqueológicas.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 13:00 à 17:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 13:00 à 17:00

Todos os públicos

Visita guiada

Visitas guiadas ao complexo das Ruínas Romanas da Bobadela
Visitas guiadas às ruínas romanas, com destaque para a zona do Fórum e do Anfiteatro. Visita ao Centro Interpretativo Bobadela Romana com visualização de um documentário. Visita ao Museu Municipal Dr. António Simões saraiva.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 17:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 17:00Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 17:00

Crianças, Famílias, Adultos, Estudantes

Centro, Coimbra, Nelas

As Comunidades Pastorícias da Pré-História

Nelas

https://youtu.be/5sdbYtyVj_8

O Prof. Dr. Senna Martinez , Professor Associado (Aposentado) / Investigador Integrado da Uniarq, da da Universidade de Lisboa, a convite do Serviço de Património Cultural do Município de Nelas, elaborou uma apresentação vídeo sobre o tema, reforçando assim o seu vasto estudo cientifico realizado na região da beira Alta e em particular no Município de Nelas que tanto nos orgulha. Sendo este ano impossível devido à pandemia, a realização da campanha arqueológica em curso coordenada pelo ilustre investigador, é acima de tudo uma homenagem ao seu trabalho.

Contenido digital

As Comunidades Pastorícias da Pré-História

Acesso grátis

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Contenido digital

Apresentação vídeo sobre “As Comunidades Pastorícias da Pré-História “
O Prof. Dr. Senna Martinez , Professor Associado (Aposentado) / Investigador Integrado da Uniarq, da da Universidade de Lisboa, a convite do Serviço de Património Cultural do Município de Nelas, elaborou uma apresentação vídeo sobre o tema, reforçando assim o seu vasto estudo cientifico realizado na região da beira Alta e em particular no Município de Nelas que tanto nos orgulha.

Acesso grátis

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Centro, Coimbra, Vila Nova de Paiva

MUSEU ARQUEOLÓGICO DO ALTO PAIVA

Museu Arqueológico do Alto Paiva
Praça D. Afonso Henriques, n.º 1
3650-207 Vila Nova de Paiva
Portugal

http://cm-vnpaiva.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=1640:museu-arqueologico-do-alto-pa

O Museu Arqueológico do Alto Paiva é um espaço onde se conta a história do território abrangido pela bacia do Rio Paiva, desde as suas mais longínquas origens até à Época Moderna.
Neste espaço museológico as peças contam histórias, adquirem sentido quando entendidas na sua dimensão antropológica. Respondem-se a perguntas simples, mas cruciais: quando foram feitas? Quem as fez? Para que as fizeram?
Este museu tem uma preocupação especial com os aspetos pedagógicos, recorrendo a um conjunto de suportes que ajudam na interpretação da informação, como por exemplo a ilustração, reconstituições de monumentos ou réplicas de peças arqueológicas.
Os ambientes são intimistas, convidando os diversos públicos a percorrer milhares de anos de história.

Exposição

Visitas Livres ao MAAP_Museu Arqueológico do Alto Paiva
As visitas livres pretendem dar a conhecer o espólio encontrado nas escavações feitas no Concelho e na região, assim como, os monumentos onde o material foi encontrado.
As visitas são livres, pelo que, se o visitante quiser mais informação pode solicitar aos colaboradores da instituição.
Não há custos associados.
O Museu tem horário específico

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 14:00 à 17:00 (no dia 18 está aberto das 10h às 17h)Sábado, 19 de junho de 14:00 à 17:00 (no dia 18 está aberto das 10h às 17h)Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 17:00 (no dia 18 está aberto das 10h às 17h)

Todos os públicos

Centro, Leiria, Ansião

Complexo Monumental de Santiago da Guarda

Rua Conde de Castelo Melhor
3240-690 Santiago da Guarda

https://www.cm-ansiao.pt/PT/visitantes/1/patrimonio-e-cultura/27

Monumento Nacional desde 1978 e único exemplar de arquitetura manuelina do concelho.

Reúne no mesmo espaço uma torre quatrocentista com base medieval, reconstruída sobre as ruínas de uma Villa Romana dos séculos IV e V e um paço manuelino, edificado por Simão de Sousa Ribeiro durante a primeira metade do século XVI.

Circuito de descoberta

Caça ao Tesouro no Monumento
A atividade irá proporcionar aos visitantes uma viagem pela história do Complexo Monumental, seguindo as pistas, deixadas ao longo do percurso de visita e através das quais será possível alcançar o desejado tesouro.

Divertida e dinâmica, a iniciativa pretende estimular a aprendizagem de forma lúdica, ao mesmo tempo que se descobrem os tesouros existentes no monumento.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 15:00 à 16:00

Crianças, Famílias

Oficina

Workshop – Mosaico Romano
O workshop Mosaico Romano visa promover e valorizar o mosaico romano, mostrando o seu valor estético e cultural na Villa Romana de Santiago da Guarda.

A atividade é dirigida às famílias e os participantes terão à sua disposição os meios e materiais necessários para a criação do seu próprio mosaico.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 11:40 et de 15:00 à 15:40

Crianças, Famílias

Visita guiada

Visitas Guiadas à Oficina de Arqueologia
A visita será conduzida pelo Arqueólogo Rodrigo Pereira, que falará sobre a descoberta da Villa Romana de Santiago da Guarda e do processo de conservação e restauro das casas (Villa Romana, Torre Medieval e Paço Manuelino).

Serão exibidas algumas peças encontradas nas escavações da Villa e do Paço Manuelino.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 17:00

Todos os públicos

Visita guiada

Visitas Gratuitas ao Complexo Monumental de Santiago da Guarda
Entradas gratuitas no Complexo Monumental de Santiago da Guarda (Villa Romana, Torre Medieval e Paço Manuelino).

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 18:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 18:00Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 13:00 et de 14:00 à 18:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Centro, Leiria, Cadaval, Portugal

Real Fábrica do gelo

Quinta da Serra, Montejunto
2550-367 Lamas CDV, Portugal

https://www.artsteps.com/view/60b61a49476d0d369edd7bbd?fbclid=IwAR0xFDZUyBfy6GJHsoDZPMrmj5Pfof-WMUbb

Exposição Virtual 3D, em parceria com o Blogue Hucilluc.
Fotografia de Olívia Maria da Costa.
Curadoria de Verde e Prata. Costa Gallery.

A História do Gelo contada pela fotografia.
“Grande marco da arqueologia industrial, é a única do seu género em Portugal e Europa, sendo um símbolo da tecnologia medieval.“

Centro, Leiria, Porto de Mós

Castelo de Porto de Mós

Castelo de Porto de Mós
2480-001 Porto de Mós

https://www.municipio-portodemos.pt/

Ao longo dos séculos, o Castelo de Porto de Mós acumulou influências militares, góticas e renascentistas. A importância da fortificação foi manifesta durante o período da conquista cristã. Obra arquitetónica de características singulares, está classificada como Monumento Nacional.

Oficina

Brincar no espaço da memória
No âmbito das Jornadas Europeias de Arqueologia, a decorrer nos dias 18, 19 e 20 de Junho, o castelo de Porto de Mós promoverá uma série de atividades lúdico-pedagógicas ao longo dos três dias do evento.

Convidamos aqueles que queiram participar nos nossos ateliês educativos, em torno de temáticas alusivas à arqueologia e também ao monumento e às suas figuras históricas, a visitar-nos. Para grupos, deverá ser feita marcação de horário para o e-mail do castelo.

O castelo disponibiliza visitas guiadas e outras atividades educativas de forma contínua, devendo as marcações serem feitas para castelo@municipio-portodemos.pt

Recordamos que deverão ser cumpridas as regras individuais e de grupo recomendadas pela DGS, no âmbito do combate à Covid 19.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00Sábado, 19 de junho de 10:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:30 et de 14:00 à 18:00

Crianças, Famílias

Estudantes

Pré-primária, Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Centro, Leiria, Alcobaça

Nom du musée, du site archéologique, du chantier de fouilles...

Mosteiro de Alcobaça, Praça 25 de abril, 2460-018 Alcobaça

http://mosteiroalcobaca.pt

Projeto de divulgação do acervo arqueológico do espólio Vieira Natividade.
No âmbito das comemorações Jornadas Europeias de Arqueologia 2021, damos continuidade à publicação de vídeos temáticos realizados no âmbito do projeto de divulgação do acervo arqueológico do espólio Vieira Natividade, numa parceria entre a DGPC/ Mosteiro de Alcobaça e o UNIARQ, Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa, unidade de investigação integrada na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Para participar na atividade online, consulte a nossa pagina de Facebook através do link: https://www.facebook.com/mosteirodealcobaca.monumentonacional/

Oficina

Quizz

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 01:00 à 23:00 et de 01:00 à 23:00Sábado, 19 de junho de 01:00 à 23:00 et de 01:00 à 23:00Sexta-feira, 18 de junho de 01:00 à 23:00 et de 01:00 à 23:00

Todos os públicos

Centro, Santarém, Tomar

Instituto Politécnico de Tomar

Instituto Politécnico de Tomar
Estrada da Serra

www.ipt.pt

O Instituto Politécnico de Tomar assume ainda como sua missão: a expansão do acesso ao saber em benefício das pessoas e da sociedade, através da investigação, do ensino e da cooperação, num projeto de formação global do indivíduo; a participação ativa na construção de um espaço europeu de investigação e educação, e de um modelo de
desenvolvimento regional assente na criação, inovação e valorização do conhecimento científico e tecnológico.

Exposição

Uma Viagem ao Passado
Dia 18 de julho.

Esta iniciativa transporta o visitante para eras geológicas distantes de milhões de anos ao mesmo tempo que o vai trazendo para a relação do Homem com o Ambiente e a Natureza.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 16:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência mental

Centro, Santarém, Torres Novas

Sistema cársico do Almonda

Parque de estacionamento, junto à loja da Renova
Almonda - Torres Novas

https://www.facebook.com/events/924278485087241?acontext=%7B%22event_action_history%22%3A[%7B%22surf

Por dentro do sistema cársico do Almonda: arqueologia e espeleologia.

Visita à gruta do Almonda orientada pela equipa do projeto ARQEVO.

Duração: aproximadamente 5 horas
Idade mínima: 16 anos
Lotação: 15 pessoas
Recomendações: calçado e roupa desportiva, calças e camisola de manga comprida, não trazer sandálias. Trazer água e reforço alimentar. Atividade realizada de acordo com as normas pandémicas em vigor.

Inscrições na atividade pelo link https://forms.gle/qqsZ4GLx8Vt7CeM97

+Informações: museu.municipal@cm-torresnovas.pt

Lisboa, Lisboa, Peniche

Museu Nacional Resistência e Liberdade - Fortaleza de Peniche

Fortaleza de Peniche, Campo da Republica 609
2520-607 Peniche, Portugal

http://www.museunacionalresistencialiberdade-peniche.gov.pt/pt/

O Museu Nacional Resistência e Liberdade nasce do reconhecimento da Fortaleza de Peniche enquanto espaço-memória e símbolo maior da luta pela liberdade à escala nacional, com ressonâncias internacionais na luta ancestral e atual pela Democracia e pelo respeito dos Direitos Humanos.

De âmbito multidisciplinar, o Museu Nacional Resistência e Liberdade terá como missão a preservação da memória histórica da Fortaleza de Peniche e da Luta do Povo Português, em particular, da Resistência à Ditadura, pela Liberdade e pela Democracia.

Visita guiada

Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche | Visita presencial
20 JUNHO 2021 | 15H00 - Visita aos espaços analisados do Museu Nacional Resistência e Liberdade - Fortaleza de Peniche

Ângela Alves, Museu Nacional Resistência e Liberdade
Maria Ramalho Arqueóloga, Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC
Marina Pinto, Era Arqueologia

Necessária inscrição prévia | geral@mnrl.dgpc.pt

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 15:00 à 16:00 (Visita presencial)

Todos os públicos

Estudantes

Secundário

Visita presencial

Conferência

Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche - Apresentação digital
Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche
Apresentação digital

19 JUNHO 2021|15H00 – 17H00

São objetivos principais da apresentação:
• Entender os contributos da arqueologia para o conhecimento de espaços repressivos;
• Conhecer os resultados dos trabalhos de análise técnica das paredes interiores da prisão e da prospeção geofísica dos espaços;
• Exibição de um vídeo documental de curta duração;
A apresentação é em língua portuguesa.
Necessária inscrição prévia para a apresentação digital e visita presencial | geral@mnrl.dgpc.pT

PROGRAMA
15H00 - SESSÃO DE ABERTURA
Maria Catarina Coelho Diretora do Departamento de Bens Culturais, DGPC
Teresa Albino Coordenadora do Museu Nacional Resistência e Liberdade
Chefe de Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC

15H15 - Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche
Rui Gomes Coelho Durham University, Reino Unido
Marina Pinto ERA Arqueologia SA
Vanessa Rodrigues ERA Arqueologia SA

EXIBIÇÃO DE VÍDEO DOCUMENTAL

Moderação:
Maria Ramalho, Arqueóloga, Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC

16H45 - Debate

17H00 - ENCERRAMENTO


Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:00 à 17:00 (Apresentação digital)

Todos os públicos

Apresentação digital

Não se aplica

Lisboa, Lisboa, Loures

Citânia de Sanfins

Rua do Forte Monte Cintra
2685-141 Sacavém

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/static/data/jea/exposicao_jornadas_arqueologia-sipa_compressed1

A Citânia de Sanfins, classificada como Monumento Nacional (Decreto n.º 35 817, DG, 1.ª Série, n.º 187, de 20 agosto 1946), implanta-se na freguesia de Sanfins de Ferreira e, um pequeno setor, na de Eiriz, do concelho de Paços de Ferreira, distrito do Porto, num planalto sobranceiro com ampla vista panorâmica sobre o concelho, o litoral Atlântico, os vales do Vizela e do Sousa, enquadrado por várias serranias.

Ocupando uma área com mais de 15 hectares, constitui um dos maiores e mais significativos povoados fortificados nacionais e do noroeste peninsular.

Exposição

Citânia de Sanfins: Memórias das escavações subsidiadas pela Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (1944-1968)
A presente exposição virtual pretende documentar, através do espólio documental da ex-DGEMN, constante no Arquivo do Forte de Sacavém, o interesse suscitado pela Citânia de Sanfins a partir da década de 40, as diligências feitas, quase ininterruptamente, entre 1944 e 1968, para a classificar, preservar e conservar as estruturas arqueológicas que se iam descobrindo.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 01:00 à 23:50 Sábado, 19 de junho de 01:00 à 23:50 Sexta-feira, 18 de junho de 01:00 à 23:50

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

Secundário

Lisboa, Lisboa, Loures

Sítio Arqueológico de Frielas

Sítio arqueológico de Frielas
Quinta do Caiado, Frielas

Visita guiada ao Sítio Arqueológico de Frielas, em formato presencial, dirigido ao público em geral. Participação de Filomena Barata.
dia 27 de junho, 10h00.

Lisboa, Lisboa, Loures

Museu Municipal de Loures

Quinta do Conventinho
Estrada Nacional 8, Km 4,3
2660-346 Santo António dos Cavaleiros

https://www.cm-loures.pt/AreaConteudo.aspx?DisplayId=775

Instalado no 13.º convento dos frades franciscanos da Província de Santa Maria da Arrábida, o Museu Municipal de Loures apresenta, desde 26 de julho de 1998, exposições de temática arqueológica e etnográfica, com o intuito de dar a conhecer a realidade e a vivência das populações rurais do município, assim como a história do concelho de Loures.

Possui duas salas de exposições, oficinas, reservas visitáveis, um centro de documentação especializado em história local, loja, cafetaria com esplanada, parque de estacionamento e acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

Oficina

Arqueologia no Museu
Pretende-se mostrar o que é uma escavação arqueológica, conhecendo o museu através da atividade de um arqueólogo, sensibilizando para o património arqueológico e espaço da Quinta do Conventinho.

Participação gratuita, mediante pré-reserva (se_conventinho@cm-loures.pt
211 150 507
211 150 912).

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:00 à 16:30 Domingo, 20 de junho de 10:00 à 11:30

Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência mental

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu de Lisboa - Teatro Romano

Rua de São Mamede 3A
1100 532 Lisboa

http://www.museudelisboa.pt/

Museu de sítio localizado na zona histórica da cidade, este núcleo do Museu de Lisboa revela um dos mais importantes monumentos da Felicitas Iulia Olisipo: o seu teatro, cujas estruturas datam do século I d.C.

Pelo 3º ano consecutivo, o Museu de Lisboa - Teatro Romano associa-se às Jornadas Europeias da Arqueologia com uma programação diversificada para miúdos e graúdos.

Todas as atividades são gratuitas, mediante reserva obrigatória para:
reservas@museudelisboa.pt

Demonstração

Quem criou A Festa de Baco
Conversa e demonstração de A Festa de Baco com os criadores do jogo.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 16:30 à 17:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Contenido digital

A Festa de Baco
Os deuses, como de costume, fizeram uma grande confusão no teatro. Felizmente, os nossos aprendizes chegaram mesmo a tempo para preparar tudo para a ocasião!

Vem ao museu celebrar a Festa de Baco.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 (Mediante solicitação na receção do museu)

Crianças, Adultos, Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Oficina

Manel e Chico descobrem o Teatro Romano
Manuel e Chico descobrem o Teatro Romano é um livro infantojuvenil escrito por Bruno Magina.

O autor conta a história conturbada da descoberta do teatro romano no longínquo ano de 1798.

Descobre a história desta descoberta através de fantoches!

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:15

Crianças, Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Contenido digital

A arqueologia urbana de Lisboa
Mini-documentário sobre a Arqueologia urbana de Lisboa, para conhecer mais sobre a cidade e a sua história.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 18:00

Adultos, Estudantes

Oficina

Como escavam os arqueólogos
Oficina para público mais jovem sobre algumas tarefas feitas pelos arqueólogos: escavar, limpar, catalogar, desenhar. E até levam para casa uma surpresa!!!

Atividade desenvolvida com o apoio de verdadeiros arqueólogos do teatro romano de Lisboa.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 14:30 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 14:30 à 18:00

Crianças, Famílias

Visita guiada

Segredos que a arqueologia revela
Percurso em redor do teatro romano.

O chão, as paredes, os edifícios, tudo o que nos rodeia guarda segredos. São histórias passadas prontas a ser reveladas se as quisermos e conseguirmos ouvir.

Venha descobrir connosco alguns destes segredos!

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:30 à 12:45

Todos os públicos

Oficina

Os Escribas de Olisipo
A ocupação de escriba era uma das mais populares entre os romanos.

Dominar a arte da escrita não era para todos.

Experimenta, nesta atividade, desenhar letras e palavras, em tabuinhas de cera, como um verdadeiro escriba em Olisipo.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:00

Crianças, Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Laboratório de Arqueociências (LARC)

10A Calçada do Mirante à Ajuda
1300-418 Lisboa

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/en/

O Laboratório de Arqueociências (LARC) é uma estrutura de investigação da Direção-Geral do Património Cultural que integra diferentes áreas disciplinares que se complementam.

Tem como principal objetivo produzir conhecimentos sobre aspetos de natureza económica, social, cultural e biológica das populações ancestrais, bem como da sua relação e interação com o meio ambiente. Para concretizar este desafio, são várias as disciplinas dedicadas ao estudo do Passado através da análise dos vestígios recuperados em contexto arqueológico.

Contenido digital

Encontro com o LARC
Na companhia de investigadores do LARC, o filme explora algumas das ciências da arqueologia que se dedicam a desvendar o passado humano com base no estudo dos restos materiais encontrados em sítios arqueológicos.

Acesso grátis

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu do Dinheiro | Núcleo de Interpretação da Muralha de D. Dinis

Largo de São Julião
1100-150 Lisboa

www.museudodinheiro.pt

Classificada como Monumento Nacional, a Muralha de D. Dinis é a Única muralha medieval de Lisboa que pode ser
apreciada e compreendida através de um Núcleo de Interpretação.

A exposição situa-se na cripta da antiga Igreja de S. Julião/Museu do Dinheiro, e leva-nos numa viagem de mais de 1000 anos pela história de Lisboa.

Conferência

A Muralha de D. Dinis pelo arqueólogo Artur Rocha (online)
Em 2010, no decurso de obras de requalificação do quarteirão-sede do Banco de Portugal, em Lisboa, foi feita uma descoberta marcante para a História da cidade: um troço da muralha de D. Dinis.

Desde então, nasceu um Centro de interpretação que permite o acesso público ao Monumento, fizeram-se exposições, publicaram-se materiais de divulgação geral, estreitaram-se colaborações científicas, e sobretudo fez-se investigação e produziu-se conhecimento sobre a cultura material de Lisboa.

Nesta apresentação em formato online, o arqueólogo Artur Rocha faz uma síntese dos principais resultados científicos e iniciativas de divulgação pública deste sítio arqueológico, desde 2011 até à data.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:00

Adultos

Apresentação em português

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

A Conservação e Restauro e a sua importância na Arqueologia
As Conservadoras Restauradoras do MNA, tendo por «cenário» a exposição Ídolos. Olhares Milenares, revelam através de exemplos concretos, a importância e significado que a Conservação e Restauro têm para Arqueologia.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:30 à 12:20

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Loures

Museu de Cerâmica de Sacavém

Museu de Cerámica de Sacavém
Praça Manuel Joaquim Afonso
2685-145 Sacavém

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/static/data/jea/jea1.pdf

Visita virtual à exposição “Vivências quotidianas do Convento de Cristo após a extinção da Ordem, através da cultura material e documental.“

O nosso convite é partirmos de Tomar, do Convento de Cristo, numa viagem de regresso a Sacavém…

Trouxemos fragmentos de cerâmica, testemunhos materiais das vivências quotidianas que ali ocorreram. Neste regresso à Fábrica da Loiça, reconstituem-se as suas formas originais, completam-se os seus desenhos e desvendam-se as suas funcionalidades. Assim recupera-se a sua dimensão humana e imaginam-se as histórias e estórias que protagonizaram!

Exposição

Exposição : Vivências quotidianas do Convento de Cristo, após a extinção da Ordem, através da cultura material e documental
Visita virtual da exposição que está patente no Museu de Cerâmica de Sacavém, organizada em parceria entre o Município de Loures e a DGPC.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 (online)Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 (online)Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00 (online)

Todos os públicos

visita online

Lisboa, Lisboa, Torres Vedras

Tholos do Barro

Monte da Pena, Rua Principal, Barro
2560-241 Torres Vedras

http://www.cm-tvedras.pt/agenda/detalhes/115607/

O Museu Municipal Leonel Trindade promove visitas às escavações arqueológicas a decorrer no Tholos do Barro, 112 anos após a sua descoberta e os primeiros trabalhos arqueológicos. A campanha de 2021 resulta de uma parceria entre o Município de Torres Vedras e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, através do seu Centro de Arqueologia (UNIARQ). Pretende-se reestudar o monumento, promover a sua salvaguarda e melhorar as condições de visita ao imóvel, que é Monumento Nacional desde 1910.
O Tholos do Barro é um sepulcro colectivo do III.º milénio a. C., descoberto em 1909 por Paul Bovier-Lapierre. É formado por uma câmara circular, com tecto em falsa cúpula, e por um corredor de acesso. O Tholos do Barro é o maior e mais bem conservado sepulcro de falsa cúpula existente em Portugal.

Dia aberto

Dia Aberto no Tholos do Barro
Para celebrar as Jornadas Europeias de Arqueologia, o Museu Municipal Leonel Trindade promove visitas às escavações arqueológicas a decorrer no Tholos do Barro, 112 anos após a sua descoberta e os primeiros trabalhos arqueológicos que aí tiveram lugar. Mais de um século depois, a campanha de 2021 pretende reestudar o monumento, promover a sua salvaguarda e melhorar as condições de visita ao imóvel, classificado como Monumento Nacional desde 1910.
Période(s) archéologique(s) :

Protohistória

Opérateur :

Museu Municipal Leonel Trindade

-Aménageur :

Município de Torres Vedras / Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 16:00 à 19:00

Todos os públicos

Existe algum grau de limitação para pessoas com mobilidade reduzida.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Circuito de descoberta

A Arqueologia e as novas tecnologias: Religiões da Lusitânia. Loquuntur saxa – Venha ouvir as pedras falar
Experiência ZOOMGUIDE que permite aos visitantes na exposição Religiões da Lusitânia - Loquuntur Saxa ouvir, autonomamente, sobre 40 dos bens culturais expostos uma história que os contextualiza na sua época.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 17:30 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Vários

UNIARQ - Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade
1600-214 Lisboa

https://www.uniarq.net/

A UNIARQ, Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa, é uma unidade de I&D financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). O principal objectivo da UNIARQ é o estudo das sociedades humanas do ocidente peninsular através dos dados arqueológicos, desde o Paleolítico até à Lusitânia romana e posterior.

A UNIARQ, unidade orgânica da FL-UL, é dirigida, desde 18 de Outubro de 2016, por Carlos Fabião e está organizada em Projectos.

Contenido digital

Arqueologia e vidro: Desde a Antiguidade até à Idade Média
A Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) decidiu declarar 2022 como o Ano Internacional do Vidro com o objectivo de destacar a sua importância científica, económica e cultural em campos tão variados como a medicina, a engenharia aeroespacial, o fabrico de jóias, louça de mesa, espelhos ou telemóveis.

Nesta exposição faremos uma breve viagem através da história do vidro do seu estudo arqueológico. Como foi feito o vidro? Onde? Para quê? Como sabemos?

Por Jorge de Juan Ares (UNIARQ, FLUL)

Reunião ZOOM
ID: 955 3968 0697
Senha de acceso: 5f6xWH

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:00

Todos os públicos

Dia aberto

Visita aos bastidores das colecções da arqueologia colonial portuguesa
Venha ao Centro de Arqueologia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa ver como uma equipa de arqueólogos e estudantes de Arqueologia, se encontram a inventariar materiais líticos de uma estação arqueológica identificada numa antiga colónia portuguesa, Angola - Capangombe Velho, com mais de 101 mil artefactos. Esta coleção do Instituto de Investigação Tropical foi depositada na Universidade de Lisboa, em 2015, e encontra-se sob a gestão do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, e curadoria do Professor João Pedro Ribeiro, da UNIARQ.

Porta principal da FLUL, às 14h.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 16:00

Todos os públicos

Contenido digital

E tu? Tens MEDO dos estranhos?
O que relaciona o medo, um sentimento, os estranhos, uma categoria de pessoas e a Arqueologia? Aparentemente nada?!

Ou tudo? Como Arqueólogos, estudamos pessoas do passado, com emoções e reacções perante o que as rodeava.

Em Arqueologia, estudamos todos os vestígios deixados pelas sociedades antigas, os objectos, as construções e até os restos humanos que contam histórias de chegadas, de confrontos e de encontros.

Partindo do Presente, das nossas existências construídas com coisas novas, vindas de lugares distantes e com outras que têm raízes muito antigas é proposta, a todos os participantes, uma viagem ao Passado, aos períodos Neolítico e Calcolítico – 6º-3º milénio AC - momentos em que, aquilo que hoje, consideramos familiar pode ter parecido assustador.

Mariana Diniz – UNIARQ
Professora Associada FLUL

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88584972165?pwd=YlppUUNCMTdTM0t0aHQzbGx4RkJ0QT09

ID da reunião: 885 8497 2165
Senha de acesso: 809686​

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:30 à 12:30

Todos os públicos

Dia aberto

Os animais e os romanos : o que nos diz a Zooarqueologia!
Sessão no âmbito do projecto BROMAN - Exploração e consumo de recursos biológicos no ocidente Ibérico em Época Romana (PTDC/HAR-ARQ/4909/2020).

Apresentação de restos osteológicos de sítios romanos da Lusitânia onde se observa influência dos romanos na seleção artificial e gestão de bovinos e cães.

Ponto de encontro: Porta principal da Faculdade de Letras de Lisboa, às 10h
Période(s) archéologique(s) :

Antiguidade

Opérateur :

Cleia Detry

-Aménageur :

Cleia Detry

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

No túmulo de Tutankhamon foram encontrados muitos e variados colares de diversificados feitios. Muitos destes colares em ouro, obras-primas da joalharia, exibem magníficas pedras preciosas. Alguns destinavam-se a serem usados em cerimónias mas, também havia colares mais simples, alguns tinham só um amuleto destinado a proteger o faraó.
Neste ateliê/ workshop o visitante é desafiado a fazer o seu colar protetor e a compreender o seu significado.

Oficina

O colar de Tutankhamon
No túmulo de Tutankhamon foram encontrados muitos e variados colares de diversificados feitios. Muitos destes colares em ouro, obras-primas da joalharia exibem pedras semipreciosas. Alguns destinavam-se a serem usados em cerimónias mas, também havia colares mais simples, alguns tinham só um amuleto destinado a proteger o faraó.
Neste ateliê/ workshop o visitante é desafiado a fazer o seu colar protetor e a compreender o seu significado.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:30 et de 15:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Arqueológico do Carmo

Largo do Carmo (Museu)
1200-092 Lisboa

www.vnsp.arqueologos.pt

Visita guiada, em modo virtual/digital/online, à Sala nº1 do Museu Arqueológico do Carmo. Esta sala encontra-se dedicada ao sítio arqueológico de Vila Nova de São Pedro, um povoado do 3º milénio AC. Nesta visita, poderemos ficar a saber mais sobre este sítio e sobre a cultura material que acompanhava as comunidades do Calcolítico.

Visita guiada

Visita à Sala 1 do Museu Arqueológico do Carmo - online
Visita guiada, em modo virtual/digital/online, à Sala nº1 do Museu Arqueológico do Carmo. Esta sala encontra-se dedicada ao sítio arqueológico de Vila Nova de São Pedro, um povoado do 3º milénio AC. Nesta visita, poderemos ficar a saber mais sobre este sítio e sobre a cultura material que acompanhava as comunidades do Calcolítico.

Visita transmitida em directo pelo facebook (https://pt-pt.facebook.com/vnsp3000/)

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 12:00 à 13:00 (https://pt-pt.facebook.com/vnsp3000/)

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos.

O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média.

Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica.

As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:30 à 17:20

Todos os públicos

Oficina

Laboratório de Arqueologia: A cerâmica romana
Participe nesta atividade e fique a conhecer como os arqueólogos conseguem obter informações sobre os diferentes tipos de cerâmica romana, a sua utilização, origem e data.

Vamos desvendar algumas das tarefas realizadas no laboratório de arqueologia que nos conduzem ao conhecimento sobre como viviam os romanos, como se alimentavam e o que usavam no quotidiano, nas suas casas. Conheça ainda as ânforas e o que sabemos sobre os produtos alimentares que transportaram (peixe, vinho e azeite).

No final poderá ficar ainda a saber como se abasteceram os romanos da Lusitânia e até onde chegaram os alimentos lusitanos, como o famoso garum.

Atividade realizada em parceria com o Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa (UNIARQ) e estudantes de Arqueologia da Faculdade de Letras (FLUL).

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 11:00 à 17:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:30 à 17:20

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:00 à 16:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 11:50 et de 15:00 à 15:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Oficina

Romanos à mesa
Nesta mesa romana apresentam-se os distintos recipientes que eram utilizados às refeições nas casas romanas na Lusitânia. Enquanto se identificam as formas dos diferentes pratos, taças e tigelas e o modo como eram utilizados, explica-se como sabemos qual a sua origem nas diferentes províncias do Império e a sua data. Além da informação sobre os hábitos alimentares dos romanos, revela-se o modo como foram produzidos os vários recipientes e o que nos podem dizer sobre o comércio e economia da antiguidade.
Atividade realizada em parceria com o Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa (UNIARQ) e estudantes de Arqueologia da Faculdade de Letras (FLUL).

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 11:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

web: http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Circuito de descoberta

À descoberta dos bastidores do Museu
Para além das exposições, um museu integra vários serviços: inventário, reservas, biblioteca e laboratório de conservação e restauro, entre outros. Nesta visita convida-se o participante a aceder e a conhecer os bastidores do Museu

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 15:00 à 16:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Alenquer

Antiga escola/aula Conde Ferreira

Largo Luis de Camões
1- 2580-286 Alenquer

www.cm-alenquer.pt

Conferência via ZOOM dia 18 pelas 15H00 “Em busca do Templo perdido“. Resultados preliminares dos trabalhos realizados no âmbito do projeto de remodelação do edifício da antiga escola Conde Ferreira/Museu de arqueologia Hipólito Cabaço.

Visita guiada

Roteiro Também dia 19 pelas 10H00 um Roteiro pelas histórias que contam as muralhas do castelo de Alenquer
Caminhada pelo que resta das muralhas defensivas da vila de Alenquer, muralhas inicialmente construídas pelos Visigodos e acabadas pelos Mouros no Século VIII, ano de 714.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10H00 à 13H00

Crianças, Famílias, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Lisboa, Lisboa, Funchal (Ilha da Madeira)

Museu A Cidade do Açúcar

Praça Colombo nº5

https://www.facebook.com/MuseuCidadedoAcucar

O Museu A Cidade do Açúcar
É um espaço dedicado à história da indústria açucareira insular, entre os séculos XV e XIX, uma das fases mais conhecidas e marcantes da história e cultura da Ilha da Madeira, conhecida como o ciclo do “Ouro branco”. O principal núcleo da coleção do museu recolhe os achados arqueológicos das escavações efetuadas na atual Praça Colombo, nas antigas casas do mercador flamengo Janine Esmenaut, mais conhecido por João Esmeraldo.
Foram nestas escavações que se recolheram artefactos dos séculos XV a XVII. Comtempla também uma coleção de arte.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

O Antigo Egipto e a Arqueologia
O Museu Nacional de Arqueologia possui a maior coleção de Antiguidades Egípcias do país. A apresentação destes testemunhos materiais, nos quais se integram múmias de animais e três múmias humanas é o convite para se conversar sobre a importância do estudo do Antigo Egito na Arqueologia.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Oficina

Ídolos? Vamos descobri-los!
A exposição Ídolos. Olhares Milenares mostra-nos muitas «figurinhas» feitas em muitos materiais. Estas figurinhas encontram-se no Sul da Península Ibérica e foram feitas pelos nossos antepassados num tempo em que não havia escrita. Há estudiosos que as designam de «ídolos», outros há que acreditam que elas são representações de pessoas e que algumas até nos olham com olhos de sol. Neste ateliê/ workshop vamos conhece-los e dando assas à imaginação, vamos fazer um íman de um ídolo, de uma figurinha … ou de um antepassado?

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:30 et de 15:00 à 17:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Espetáculo

Lu.Gar. Contado - Sessão de Contos tradicionais: Memórias com História
Os contos divertem, encantam e ensinam gerações desde o alvorecer da humanidade. Contos que nos parecem inventados ontem são, afinal, companheiros centenários de serões passados em redor do fogo. A partir de seis contos tradicionais, três narradores incontornáveis oferecem-nos uma viagem a este mundo fabuloso: Cristina Taquelim, António Fontinha e Ana Sofia Paiva.
As sessões de contos são parte integrante da exposição “LU.GAR.CONTADO - Tradição Oral, um património vivo

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

As Antiguidades Egípcias, Tutankhamon e a Arqueologia
O Museu Nacional de Arqueologia possui a maior coleção de Antiguidades Egípcias do país. A apresentação destes testemunhos materiais é o convite para se compreender a importância da Arqueologia na descoberta do túmulo de Tutankhamon.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 11:00 et de 14:00 à 14:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Mosaico das Musas
O Mosaico das Musas, um dos mais notáveis da coleção do Museu Nacional de Arqueologia, classificado como de interesse nacional, provém de escavações efetuadas na Villa Romana de Torre de Palma, Monforte, uma das mais notáveis casas agrícolas de Época Romana conhecidas no Sul de Portugal.
É constituído por 11 painéis figurativos com temas mitológicos: Painel I (Musas). PAINEL I (As nove Musas); Painel II (Cena Báquica); Painel III (Sileno e Sátiro); Painel IV (Duas Ménades); Painel V (Dois Membros do Tiaso); Painel VI (Apolo e Dafne); Painel VII (Hércules e Mercúrio); Painel VIII (Medeia Infanticida); Painel IX (Mégara e Hércules); Painel X (Triunfo de Baco); Painel XI (Teseu e Minotauro).
Através dele, faremos uma longa viagem em torno desta importante casa romana e da importância que a mesma teria no contexto da Lusitânia.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Heróis, Gigantes e Monstros
O conhecimento dos mitos gregos é essencial para a compreensão da enorme herança grega e romana.
Através desta exposição daremos conhecimento de alguns heróis e monstros que povoam a mitologia, através dos autores gregos e romanos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Um Novo Olhar sobre o MNA
O Museu Nacional de Arqueologia resulta do empenho de José Leite de Vasconcelos em criar o Museu do «Homem Português».
É um dos mais importantes centros de investigação na área da Arqueologia.
O acervo do Museu Nacional de Arqueologia inclui artefactos desde a Pré-História ao século XX.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

A folha de loureiro
A «folha de loureiro» é uma ponta de lança ou de dardo, em pedra, com forma geral da folha daquela árvore. Representa o apogeu do trabalho da pedra por lascamento durante o Paleolítico Superior.
Vamos conhecer um pouco da sua história através deste pequeno filme.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Cascais

Villa Romana de Freiria

R. da Freiria 2785, São Domingos de Rana

arqueoque.eventbrite.pt

ArqueoQuê? Ou o que é a arqueologia? É um espectáculo na villa Romana de Freiria inserido nas Jornadas Europeias de Arqueologia. O que é a arqueologia? O que faz um arqueólogo? De um modo divertido, simples e em conjunto vamos descobrir estas respostas. Mais não podemos dizer, afinal o segredo é a alma do espectáculo.
Horários:
Dia 18 - 17h
Dia 19 e dia 20 - 16h e 17h
Devido à situação pandémica o uso de máscara é obrigatório a todos os maiores de 10 anos.
Texto: Bárbara Água | Interpretação: Bárbara Água e Maria Giestas | Figurinos: Teatro ao Minuto | Produção: Teatro ao Minuto
Parceria com a Jovem Cascais - CMC
Agradecemos a especial ajuda e o apoio prestado pelo arqueólogo Severino Rodrigues. Assim como aos arqueólogos Guilherme Cardoso e José d'Encarnação responsáveis pela escavação

Espetáculo

ArqueoQuê? Ou, o que é a arqueologia?
Um espectáculo-jogo para fazer em família.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 17:00 à 17:30 Domingo, 20 de junho de 16:00 à 16:30 et de 17:00 à 17:30Sábado, 19 de junho de 16:00 à 16:30 et de 17:00 à 17:30

Crianças, Famílias, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Deficiência mental

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

As pedras continuam a falar
A exposição “Religiões da Lusitânia – Loquuntur saxa” é uma rara oportunidade para mergulhar no mundo das crenças do atual território português em época romana. “Pedras que falam” e outros objetos podem mostrar como esse universo sobrenatural tão peculiar de há 2000 anos atrás não é, afinal, tão distante do atual. Uma visita orientada para demonstrar a eloquência dos objetos expostos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:00 et de 15:00 à 16:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Setúbal, Almada

Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz

Travessa do Castelo
Almada
2800-048 Almada

O Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz é um povoado do 1º milénio a.C. que surge no contexto da diáspora das populações fenícias para Ocidente.

A localização privilegiada numa plataforma sobranceira ao rio Tejo conduziu a que tivesse um papel determinante nas dinâmicas produtivas, comerciais e administrativas da Foz do Tejo durante aquele período.

O conjunto de materiais recolhidos durante as escavações e as características proto-urbanas da sua arquitetura revelam uma comunidade pujante, que aqui habitou ao longo de vários séculos. É também, por esta razão, um dos mais importantes sítios arqueológicos da região.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Oficina

Oficina de Olaria
Oficina através da qual se dão a conhecer alguns dos artefactos cerâmicos recolhidos no sítio arqueológico, bem como as técnicas e materiais usados na manufatura de peças em cerâmica, e cada participante fará uma peça em barro inspirada nos objetos do passado.

Promotor : José Serra (artesão).

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

O número de participantes na oficina está condicionado às normas e orientações da DGS em vigor.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos

Visita guiada

Visita guiada ao Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz
Venha conhecer de perto o património arqueológico do Concelho de Almada através de uma visita guiada por arqueólogos às escavações em curso.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 18:00

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Lisboa, Setúbal, Almada

Sítio Arqueológico da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas

Largo Alfredo Diniz
Cacilhas
Almada 2800-252

O Sítio Arqueológico da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas corresponde a um complexo fabril dedicado à transformação de pescado, que terá laborado entre os séculos I e II d.C. Aqui foram identificados até ao momento 10 tanques (cetárias), erguidos em torno de um pátio central, no interior dos quais se procedia à salga de peixe e provavelmente também à produção de molhos piscícolas, um condimento muito popular na gastronomia romana. Depois de elaborados, estes produtos eram transportados por navio, sendo distribuídos a nível local e regional.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Visita guiada

Visita guiada à Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas
Venha conhecer de perto da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas através de uma visita guiada por arqueólogos da Câmara Municipal de Almada.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt



Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Lisboa, Setúbal, Palmela

Cineteatro S. João

Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral
2950-204 Palmela

http://www.cm-palmela.pt/

Jornadas Internacionais “Amanhar a Terra. Arqueologia da Agricultura (Do Neolítico ao Período Medieval)“.

Conferência

Jornadas Internacionais “Amanhar a Terra. Arqueologia da Agricultura (Do Neolítico ao Período Medieval)“
As materialidades da agricultura, essencialmente de proveniência arqueológica, mas também as dimensões económica, social e cultural, desde o Neolítico ao Período Medieval, são os principais propósitos destas jornadas, dedicadas à agricultura.

10.00 €, Existem taxas de desconto

Sábado, 19 de junho de 09:10 à 18:30 Sexta-feira, 18 de junho de 09:10 à 18:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Setúbal, Palmela

Biblioteca Municipal de Palmela

Largo São João Baptista
2950-214 Palmela

http://www.cm-palmela.pt/

Exposição de arqueologia do Museu Municipal de Palmela, de caracter itinerante, que dá a conhecer a longa história sobre a ocupação humana do território, através de cinco artefactos que se assumem como narradores de uma história milenar que nos aproxima de um tempo e modos de vida do passado, numa viagem de descoberta.

Exposição

De Palmela ao Poceirão. Uma viagem arqueológica
Exposição itinerante.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 14:00 à 19:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Norte, Aveiro, Santa Maria da Feira

Castro de Romariz

Monte do Crasto
3700-812 Romariz

https://cm-feira.pt/

O Castro de Romariz é um povoado fortificado cuja ocupação humana remontará à última fase do Bronze Final (c.900-700 a.C.) indo até ao século I d.C., considerada uma das estações arqueológicas mais expressivas da região de Entre Douro e Vouga (EDV).

Visita guiada

Visita ao Castro de Romariz
Marcação prévia obrigatória até 16 de junho

Contactos : 256 331 070 / museuconventodosloios@cm-feira.pt

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 15:00

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Norte, Aveiro, Santa Maria da Feira

Museu Convento dos Lóios

Praça Dr. Guilherme Alves Moreira
4520 Santa Maria da Feira

https://cm-feira.pt/

Espaço dedicado à História e ao Património, tem o propósito de salvaguarda, valorização e divulgação dos testemunhos e memórias da herança histórica e cultural do concelho e da região, promovendo diversas atividades de manifesto interesse ao entendimento da diversidade cultural e regional e também nacional. Apresenta na exposição permanente núcleos de Arqueologia, História e Etnografia, onde explica a origem do Homem, a evolução e o desenvolvimento de um vasto território administrativo que outrora se designava por Terra de Santa Maria.

Oficina

Memórias Cerâmicas
Fazendo uma visita ao núcleo de Arqueologia, sensibilizando para o valor dos testemunhos materiais deixados pelos nossos antepassados, na oficina pedagógica pretende-se reproduzir as formas, as técnicas e os motivos decorativos patentes na cerâmica castreja e estimular a criatividade para outras técnicas.

Marcação prévia obrigatória até 16 de junho
Cada família trabalhará em mesas individuais com a devida distância e terá o seu kit, onde constam os vários materiais necessários à atividade.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 15:00 à 16:30 Sábado, 19 de junho de 15:00 à 16:30

Famílias

Estacionamento reservado à frente do Museu; Elevador; Espaços de passagem amplos; Zonas de descanso; WC feminino e WC masculino adaptado; Rampa de acesso; WC com muda fraldas; Audioguias

Norte, Braga, Braga

Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa

Rua dos Bombeiros Voluntários
4700-025 Braga

https://www.museuddiogodesousa.gov.pt/

O Museu desenvolve a sua atividade no âmbito da preservação e divulgação do património arqueológico local e da Região Norte de Portugal.

Este ano em parceria com a Axis Mundi – Heritage & Archaeology, o Museu irá celebrar as Jornadas Europeias da Arqueologia nos próximos dias 18, 19 e 20 de junho, com diversas atividades.

Circuito de descoberta

Arqueologia da Cidade
Uma caminhada para descobrir os vestígios arqueológicos da cidade de Braga, desde a sua fundação como cidade romana.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:30 à 12:00 (Inscrição prévia)

Todos os públicos

Visita guiada

Visita Guiada ao Museu
Conheça a coleção permanente do Museu.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 14:30 à 16:00 (Inscrição prévia)

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Oficina

Oficina de Arqueologia
Equipados com pincéis e colherins os mais jovens irão procurar pistas do passado.

Tal como verdadeiros arqueólogos eles vão escavar, identificar e registar as suas descobertas.

Enquanto os mais pequenos se divertem, os pais poderão conhecer o laboratório do museu.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30 (Inscrição Prévia. Famílias com Crianças dos 6 aos 10 anos)

Crianças, Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Visita guiada

Visita Guiada ao Laboratório
Conheça os bastidores do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa - reserva e laboratório de conservação e restauro.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 16:00 (Inscrição Prévia)

Todos os públicos

Visita guiada

Visita Guiada ao Museu
Venha conhecer a coleção permanente do Museu.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:30 à 12:00 (Inscrição Prévia)

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Demonstração

Pottery Display
Na companhia de um arqueólogo conhece diferentes materiais arqueológicos e descobre a cerâmica produzida ao longo das épocas e encontrada na região de Braga.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 17:00 (Entrada Livre)

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Norte, Braga, Braga

Mosteiro de São Martinho de Tibães

Rua do Mosteiro, n.º 59
4700-565 Mire de Tibães
Braga
Portugal

https://www.mosteirodetibaes.gov.pt/

O Mosteiro de São Martinho de Tibães foi alvo de uma grande campanha de escavações arqueológicas realizadas entre 1992 e 2002, as quais colocaram a descoberto o traçado do mosteiro primitivo e nos mostraram a sua evolução ao longo dos tempos.

Associamo-nos à comemoração das Jornadas Europeias de Arqueologia 2021 com o intuito de lhe dar a conhecer esta e outras histórias deste importante conjunto monástico português.

Viaje connosco!

Projeção

O Claustro do Refeitório e ala sul do Mosteiro de Tibães - intervenção arqueológica e obras de conservação, restauro e reabilitação
Filme que retrata parte das escavações arqueológicas realizadas no Claustro do Refeitório e que nos permitiram fazer a reconstrução virtual de toda essa área.

4.00 €, Existem taxas de desconto

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Visita guiada

Segredos visíveis e invisíveis!
Visita que irá passar por alguns dos espaços do mosteiro onde foram realizadas escavações arqueológicas e que será orientada por Arlindo Pinheiro, uma das pessoas que participou ativamente nas várias campanhas de escavação arqueológica que foram realizadas no Mosteiro de Tibães entre 1992 e 2002.

4.00 €, Existem taxas de desconto

Sexta-feira, 18 de junho de 10:30 à 12:30

Todos os públicos

Norte, Bragance, Miranda do Douro

Castelo de Miranda do Douro

Largo D. João III
5210-190 Miranda do Douro

https://www.cm-mdouro.pt/

No âmbito das Jornadas Europeias de Arqueologia, o Município de Miranda do Douro promoverá as seguintes ações : visitas guiadas ao Castelo de Miranda do Douro ; apresentação pública dos resultados obtidos nas intervenções arqueológicas realizadas no âmbito dos projetos Muralha Medieval e Moderna do Castelo de Miranda do Douro, Antiga Rua do Castelo e Envolvente ao Largo da Sé ; exposição do espólio arqueológico exumado nestas intervenções e participação numa escavação arqueológica.

Oficina

Participação numa escavação arqueológica
Os participantes terão a oportunidade de participar numa escavação arqueológica, escavando, desenhando e experienciando as metodologias que uma sondagem arqueológica implica.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 16:00 (limite máximo: 5 pessoas. Marcação prévia nos Cabanais do Castelo)

Todos os públicos

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Visita guiada

Visita guiada ao Castelo de Miranda do Douro

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:00 à 11:00 et de 15:00 à 16:00 (limite máximo: 10 pessoas. Marcação prévia nos Cabanais do Castelo)

Todos os públicos

Norte, Bragance, Miranda do Douro

Biblioteca Municipal António Maria Mourinho

Rua dos Frades Trinos
5210-090 Miranda do Douro

No âmbito das Jornadas Europeias de Arqueologia, o Município de Miranda do Douro promoverá as seguintes ações : visitas guiadas ao Castelo de Miranda do Douro ; apresentação pública dos resultados obtidos nas intervenções arqueológicas realizadas no âmbito dos projetos Muralha Medieval e Moderna do Castelo de Miranda do Douro, Antiga Rua do Castelo e Envolvente ao Largo da Sé ; exposição do espólio arqueológico exumado nestas intervenções e participação numa escavação arqueológica.

Conferência

Apresentação dos resultados obtidos nas intervenções arqueológicas - Castelo de Miranda do Douro, Antiga Rua do Castelo e Envolvente ao Largo da Sé

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 18:00 à 19:00

Todos os públicos

Exposição

Exposição Espólio Arqueológico
Exposição Espólio arqueológico – Castelo de Miranda do Douro, Antiga Rua do Castelo e Envolvente ao Largo da Sé.

Exposição patente até dia 30 de agosto, dias úteis. Sábado e Domingo encontra-se encerrada.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 9:30 à 13:00 et de 14:00 à 17:30 (até ao dia 30 de Setembro de 2021, dias úteis)Sexta-feira, 18 de junho de 9:30 à 13:00 et de 14:00 à 17:30 (até ao dia 30 de Setembro de 2021, dias úteis)

Todos os públicos

Norte, Guarda, Almofala - Figueira de Castelo Rodrigo

Torre de Almofala

Estrada Municipal 607, s.n.
6440-021 Almofala e Escarigo, Figueira de Castelo Rodrigo

Templo Romano do Séc. I d.C. , integrando o forum romano da CIVITAS COBELCORUM. Seria neste espaço a sede político-administrativa. Foi a descoberta de uma ARA VOTIVA em 1997 que veio corroborar tais factos, pela sua paleografia e tipologia. Evidenciando desta forma informação mais concisa do espaço, utilidade/ função e povo que ali habitava.
A ocupação desta colina foi acompanhando o decorrer da história, pelo aparecimento de diferentes cerâmicas e técnicas e diferentes materiais que se foram utilizando no decurso da história. Foi no Séc. XVI que o Monumento sofreu a maior alteração, reduziu-se o tamanho original com a construção da parede nascente passando a assumir funções militares como Torre de Vigia. A última ocupação/reocupação remonta ao Séc.XVII.

Visita guiada

Visita Livre ou visita guiada à Torre de Almofala

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 17:00 (Visitas guiadas de hora a hora)Domingo, 20 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 17:00 (Visitas guiadas de hora a hora)

Todos os públicos

Norte, Guarda, Almofala - Figueira de Castelo Rodrigo

Torre de Almofala

Estrada Municipal 607, s.n.
6440-021 Almofala e Escarigo, Figueira de Castelo Rodrigo

https://cm-fcr.pt/visitar/museus/centro-interpretativo-da-torre-de-almofala/

Templo Romano do Séc. I d.C. , integrando o forum romano da CIVITAS COBELCORUM.

Seria neste espaço a sede político-administrativa. Foi a descoberta de uma ARA VOTIVA em 1997 que veio corroborar tais factos, pela sua paleografia e tipologia. Evidenciando desta forma informação mais concisa do espaço, utilidade/ função e povo que ali habitava.

A ocupação desta colina foi acompanhando o decorrer da história, pelo aparecimento de diferentes cerâmicas e técnicas e diferentes materiais que se foram utilizando no decurso da história. Foi no Séc. XVI que o Monumento sofreu a maior alteração, reduziu-se o tamanho original com a construção da parede nascente passando a assumir funções militares como Torre de Vigia. A última ocupação/reocupação remonta ao Séc.XVII.

Visita guiada

Visita Livre ou visita guiada à Torre de Almofala

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 12:00 et de 14:00 à 17:00 (visitas guiadas de hora a hora)

Todos os públicos

Recepção de grupo de alunos

Visita à Torre de Almofala e Centro de Interpretação
Convite e visita guiada para alunos do Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 09:30 à 12:00 et de 14:30 à 17:00

Estudantes

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Norte, Guarda, Vila Nova de Foz Côa

Castelo de Castelo Melhor

Castelo Melhor
5150 Vila Nova de Foz Côa

http://ribacvdana.wix.com/ribacvdana

Visita guiada ao Castelo de Castelo Melhor
Dia 20 de Junho
10H00

“O chamado castelo de Castelo Melhor é composto por um perímetro muralhado de planta circular, rodeando o topo de um monte destacado na paisagem.
No interior do recinto localizava-se um povoado datável da Idade Média (século XII-XIII), tal como as estruturas defensivas que o protegiam. Mais tarde os moradores abandonaram o reduto da cerca e fixaram-se na zona baixa um pouco mais para norte, estabelecendo a atual povoação.“

Norte, Guarda, Vila Nova de Foz Côa

Parque Arquelógico e Museu do Côa

Rua do Museu
5150-620 Vila Nova de Foz Côa

https://arte-coa.pt

O Parque Arqueológico do Vale do Côa situa-se na zona mais a Norte do distrito da Guarda, na região conhecida por Alto Douro. No troço final do rio Côa localizam-se mais de 80 sítios com arte rupestre e cerca de 1200 rochas gravadas, num território de cerca 200 kms2 abrangendo os concelhos de Vila Nova de Foz Côa, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel e Mêda.

Este extraordinário conjunto rupestre distribui-se ao longo do rio Côa, numa extensão de cerca de 30 kms, e também do rio Douro, ao longo de cerca 15 kms, para ambos os lados após a embocadura do Côa. Em 10 de Agosto de 1996, foi criado o Parque Arqueológico do Vale do Côa com a missão de gerir, proteger, investigar e mostrar ao público a arte rupestre.

Visita guiada

Visita ao Núcleo de Arte Rupestre de Vale José Esteves
O Vale de José Esteves é um dos vales adjacentes ao Museu do Côa.

O núcleo de arte rupestre de Vale de José Esteves não se encontra no conjunto de sítios que o Parque Arqueológico do Vale do Côa faz visitas guiadas, sendo esta uma visita excepcional a alguns dos painéis decorados.

A arte rupestre deste vale caracteriza-se pelos motivos que pertencem à segunda fase da arte paleolítica do Vale do Côa, de cronologia Magdalenense (que se estende até 10 000 antes do presente) e são obtidos por incisão filiforme o que requer o acompanhamento por um guia especializado para uma interpretação cuidada. Figurações mais tardias, datadas da Idade do Ferro, são de mais fácil visualização.

Ponto de encontro: Museu do Côa I 9h30
Duração da visita: cerca de 2 horas
Atividade gratuita mas de inscrição obrigatória com limitação de participantes de acordo com o Plano de Contingência da Fundação Côa Parque e das diretivas da DGS em vigor no dia da atividade.
Para mais informações e inscrição contactar: 
@ mail: museugeral@arte-coa.pt
Telefone: (+351) 279 768 260

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:30 à 09:30

Famílias, Adultos

Visita guiada

No Rasto dos Caçadores Paleolíticos do Vale do Côa
A investigação arqueológica realizada ao longo dos últimos anos no Vale do Côa apontam para a presença, no Paleolítico Superior, de grupos humanos, que se deslocariam sazonalmente, instalando-se em acampamentos ora no fundo do vale, ora nas áreas planálticas para onde partiam em busca de caça.

É esta ocupação do território que o percurso No Rasto dos Caçadores Paleolíticos e a Oficina de Arqueologia Experimental com que a visita termina, pretendem ilustrar.
Com partida do centro da aldeia de Algodres, o percurso reconstitui os trilhos pelo vale e planalto que os caçadores paleolíticos do Vale do Côa fariam há 25 000 anos atrás.
A visita inicia-se com vista sobre o Vale do Côa, onde se observa o sítio da Cardina, acampamento do Paleolítico superior que foi objeto de escavações arqueológicas. O percurso segue ao longo de um curso de água, a Ribeirinha, visitando-se um local escavado, a Olga Grande, com ocupação humana no Paleolítico superior. Aqui, é realizada uma oficina de arqueologia experimental reconstituindo-se os gestos destas comunidades de caçadores recolectores.

Local de partida: Aldeia de Algodres, junto à Igreja Matriz
Ponto de encontro: 9h30
Duração da visita: cerca de 3 horas
Atividade gratuita mas de inscrição obrigatória com limitação de participantes de acordo com o Plano de Contingência da Fundação Côa Parque e das diretivas da DGS em vigor no dia da atividade.
Para mais informações e inscrição contactar: 
@ mail: museugeral@arte-coa.pt
Telefone: (+351) 279 768 260

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 09:30 à 12:30

Famílias, Adultos

Norte, Porto, Santo Tirso

Centro Interpretativo do Monte Padrão

Rua do Castro do Padrão, 137
Lugar de Quinchães
4825-284 - Monte Córdova

http://mmap.cm-stirso.pt/cimp/

O Centro Interpretativo do Monte Padrão, aberto ao público em Abril de 2008, constitui a pedra basilar do projecto de estudo, musealização e dinamização da estação arqueológica, cujo propósito visa disponibilizar valências de natureza pedagógica, museológica e de apoio ao trabalho de investigação.

Conferência

III Ciclo de Conferências do Monte Padrão. Pré-história Recente entre Leça e Ave
Inscrições através de : museus@cm-stirso.pt ou 252 830 410

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 09:30 à 19:00

Todos os públicos

Norte, Porto, Vila do Conde

Castro de São Paio

Castro de São Paio
Labruge
4480 Vila do Conde

appavc.wixsite.com/home

O Solstício de Verão aproxima-se !

Este ano celebraremos a chegada do Verão, no fim-de-semana das JEA Jornadas Europeias de Arqueologia, no nosso estimado Castro de S. Paio !

O encontro terá início pelas 17H00, com uma visita ao Centro Interpretativo do Castro de S. Paio.

Segue-se, pelas 18h00, o concerto das Tresmoças que nos trarão o seu adufe e os belos cantares tradicionais portugueses.
Quem tiver interesse poderá inscrever-se e participar no workshop de Técnicas Primitivas de Produção de Fogo, a decorrer a partir das 19h00.
Por fim, pelas 20H00, o Projeto Shanti encerrará o dia com a sua sonoridade que reúne elementos tradicionais de diversas culturas.

Data : 19 de Junho de 2021, das 17h00 às 21h00

Inscrição obrigatória até 12 de Junho

Espetáculo

Concerto Tresmoças e Projeto Shanti
Música tradicional portuguesa

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 17:00 à 21:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Norte, Porto, Marco de Canaveses

Escola Profissional de Arqueologia

Largo da Igreja do Freixo (Tongobriga), 58
4630-092 Freixo - Marco de Canaveses

https://www.eparqueologia.gov.pt/

A Escola Profissional de Arqueologia (EPA) é uma instituição pública de ensino profissional dedicada à área do Património Cultural, implantada na aldeia de Santa Maria do Freixo, em plena Área Arqueológica do Freixo, espaço de cerca de 50 hectares classificado como Monumento Nacional – a cidade romana de Tongobriga.

Dia aberto

Dia aberto na Escola Profissional de Arqueologia
Visita guiada às instalações da escola, participação numa aula técnica de um dos cursos profissionais lecionados na escola e conversa com os coordenadores de curso.
Période(s) archéologique(s) :

Todos os períodos

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 17:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 12:30

Famílias, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Norte, Porto, Marco de Canaveses

Área Arqueológica do Freixo - Tongobriga

Rua António Correia de Vasconcelos, 51
4630-095 Marco de Canaveses

https://www.tongobriga.gov.pt/

A Área Arqueológica do Freixo é composta de um povoado fortificado proto-histórico sob o qual foi edificado um povoado romano, conhecido pela designação genérica de Tongobriga.

As estruturas que foram até agora identificadas – áreas habitacionais, necrópoles, fórum, teatro e edifício das termas – expressam a importância desta localidade, que chegou a ascender a civitas.

O seu prestígio manteve-se para além da queda do Império, como o atesta a basílica paleocristã do séc. V.

Oficina

Arqueólogo por um dia
Na área habitacional da cidade romana de Tongobriga foi recriada uma sondagem arqueológica, à escala real, que representa alguns dos momentos de de ocupação do sítio arqueológico.

Com esta atividade pretende-se que os participantes compreendam a importância da escavação arqueológica para a construção do conhecimento e apliquem os princípios do método científico na recolha, classificação e análise dos dados arqueológicos, desenvolvendo competências de iniciativa, planificação, execução e interpretação.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 12:30

Crianças, Famílias, Todos os públicos

Estudantes

Pré-primária, Primária, 2.º e 3.º ciclo

Norte, Vila Real, Sabrosa

Polo Arqueológico da Garganta (Garganta Archaeological Center)

Polo Arqueológico da Garganta, CM1262-4
5060-422 São Martinho de Anta, Sabrosa

https://ahassabrosa2019.wixsite.com/engsite

O Polo Arqueológico da Garganta (Laboratório de Arqueologia e Ambiente da Associação de História e Arqueologia de Sabrosa foi, inicialmente, uma antiga escola primária e, na atualidade, é um espaço concebido, para mostrar um pouco do património natural, histórico e arqueológico do concelho de Sabrosa. Através das iniciativas da Associação de História e Arqueologia de Sabrosa e do Laboratório de Arqueologia e Ambiente, é neste espaço que se desenvolvem conferências, exposições, reuniões, apresentações de trabalhos, iniciativas de divulgação e preservação do património histórico, arqueológico, cultural e natural do concelho ed Sabrosa e da região.

Conferência

Abertura das Jornadas Europeias da Arqueologia | Conferência/Debate “Arqueologia e Património Cultural“
Esta atividade, a realizar na sala de conferências da Associação de História e Arqueologia de Sabrosa procura, no âmbito do evento “Jornadas Europeias da Arqueologia, promovido pelo INRAP (Institut national de recherches archéologiques préventives) e, em Portugal, pela DGPC, inaugurar, oficialmente a abertura das jornadas com uma pequena conferência sobre a Arqueologia e o Património Cultural”, abrindo o debate sobre a importância e relevância da valorização e preservação deste património.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 16:00

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual, Deficiência mental

Conferência

Arqueologia e Património Cultural: história para todos
Esta atividade, a realizar na sala de conferências da Associação de História e Arqueologia de Sabrosa procura, no âmbito do evento “Jornadas Europeias da Arqueologia, promovido pelo INRAP (Institut national de recherches archéologiques préventives) e, em Portugal, pela DGPC, inaugurar, oficialmente a abertura das jornadas com uma pequena conferência sobre a Arqueologia e o Património Cultural”, abrindo o debate sobre a importância e relevância da valorização e preservação deste património.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 15:15 à 16:15

Todos os públicos

Exposição

A Ciência por detrás de Fernão de Magalhães
Inauguração da exposição “A Ciência por detrás de Fernão de Magalhães“, uma exposição com vários painéis temáticos sobre a ciências por detrás da exploração náutica, embarcações, instrumentos, cartografia histórica e diversas maquetes de peças de navios, cavernas, braços, roda de proa, a arquitetura de uma Nau, instrumentos de navegação como quadrantes e diversas informações sobre a arquitetura náutica.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 16:30 à 18:30

Todos os públicos

Estudantes

Pré-primária, Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência auditiva, Deficiência mental

Conferência

Palestra “20 anos do Laboratório de Ecologia Aplicada LEA - UATD” Professor Doutor João Cabral
O Professor Doutor João Alexandre Ferreira Abel Dos Santos Cabral, responsável pelo Laboratório de Ecologia Aplicada da UTAD, fará uma apresentação sobre os 20 anos de atividade do Laboratório de Ecologia Aplicada da UTAD.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 09:30 à 10:30

Todos os públicos

Conferência

Lançamento do Livro “Caminhos Antigos das Touças: património, arqueologia e ambiente“
Este evento procura lançar, oficialmente, o livro “Caminhos Antigos das Touças: património, arqueologia e ambiente”, editado e produzido, integralmente, pela Associação de História e Arqueologia de Sabrosa. O livro procura, no essencial, contribuir, através de um estudo aprofundado e com o recurso a discursos simples, pedagógicos e graficamente apelativos, para o conhecimento, valorização e preservação de uma parte do património do concelho de Sabrosa.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:30

Todos os públicos

Estudantes

Pré-primária, Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual

Conferência

Lançamento do Aplicativo “Caminhos Antigos das Touças: património, arqueologia e ambiente“
Lançamento do aplicativo “ Caminhos Antigos das Touças: património, arqueologia e ambiente “, uma obra elaborada pela AHAS, onde se destacam os elementos patrimoniais, arqueológicos e ambientais mais relevantes no âmbito de um trilho cultural e ambiental pré-existente.

Trata-se de uma obra de investigação, classificação e divulgação que procura, sobretudo, sensibilizar a população para a importância de conhecer, entender, valorizar e preservar o património rural, natural e patrimonial da região.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 14:00 à 15:30

Todos os públicos

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência visual, Deficiência auditiva

Conferência

Lançamento do livro “A Casa Nobre do Morgado de Gouvinhas: património vitivinícola do século XVIII na Região Demarcada do Douro“
Esta iniciativa procura promover o lançamento do livro “A Casa Nobre do Morgado de Gouvinhas: património vitivinícola do século XVIII na Região Demarcada do Douro“, um trabalho promovido através de uma iniciativa cultural privada de requalificação e valorização de um edifício histórico localizado em pleno coração do Alto Douro Vinhateiro, na freguesia de Gouvinhas, em Sabrosa.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:45 à 16:46

Todos os públicos

Projeção

Projeção do filme “A Grande Escavação”
Um filme do realizador e diretor Simon Stone, com Carey Mulligan, Ralph Fiennes, Lily James. Um filme baseado no romance homônimo de John Preston de 2007, que reinventa os eventos da escavação de Sutton Hoo em 1939. É estrelado por Carey Mulligan, Ralph Fiennes, Lily James, Johnny Flynn, Ben Chaplin, Ken Stott, Archie Barnes e Monica Dolan.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 20:45 à 23:00

Todos os públicos

Conferência

Conferência “A Necrópole Medieval das Touças“
Apresentação dos resultados obtidos no âmbito do projeto arqueológico e atividades para 2021 e 2022.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 17:00

Todos os públicos

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Exposição

visita à “Exposição Os Locais e Culturas da Viagem de Magalhães”,
Visita à “Exposição Os Locais e Culturas da Viagem de Magalhães”, uma exposição interativa sobre os locais e culturas da viagem de Magalhães, uma exposição promovida pela Câmara Municipal de Sabrosa.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 18:00 à 19:30

Todos os públicos

Norte, Vila Real, Sabrosa

Sítio Arqueológico da Necrópole das Touças | Archaeological site of Medieval Graveyard of Touças

Polo Arqueológico da Garganta
CM1262-4, 5060-422 São Martinho de Anta, SABROSA

https://ahassabrosa2019.wixsite.com/nmdt

O sítio arqueológico da Necrópole das Touças é um local arqueológico inventariado pela Direção Geral do Património Cultural e conhecido, sobretudo, a partir de 1912, através dos escritos do coronel Albino Lopo. Referenciado mais tarde pelo Dr. Huet Bacelar e pelo Dr. Domingos Cruz, o sítio arqueológico é, atualmente, alvo de um projeto de investigação e valorização, promovido pela Associação ed História e Arqueologia ed Sabrosa e apoiado pela Câmara Municipal ed Sabrosa, com o apoio científico do CIDEHUS – Universidade de Évora e diversas outras instituições.

Oficina

Ecologia para todos: Laboratório de Ecologia Aplicada da UTAD (LEA)
Atividade desenvolvida pelo Laboratório de Ecologia Aplicada da UTAD, no âmbito das iniciativas património e Ambiente e território da AHAS

Acesso grátis

Todos os públicos

Espetáculo

Festa do Solstício de Verão na Necrópole Medieval das Touças
Esta iniciativa ocorrerá entre as 5h30 e as 8h30 de dia 21 de junho, com a observação do evento astronómico conhecido, popularmente, como “amanhecer do dia do solstício”. Nesta iniciativa será apresentada uma pequena representação teatral, a qual relata um ritual relacionado com o solstício de verão, oriundo da Ilha de Man, entre a Inglaterra e a Irlanda, e escrito por volta do século VI d.C. O ritual será ensaiado e serão promovidos convívios, discussões, festas e, sobretudo, a possibilidade de assistir ao alinhamento solar, centrado num conjunto de pedras fincadas as quais representam um alinhamento que coincide com o nascer do sol do dia mais longo do ano.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 23:58 à 23:59 (O evento ocorrerá no amanhecer de dia 21)

Todos os públicos

Dia aberto

Dia aberto no sítio Arqueológico das Touças (Arqueologia no Campo Arqueológico da Necrópole das Touças)
Evento que ocorrerá no sítio arqueológico da Necrópole das Touças com visitas guiadas por especialistas, explicações, pequenas palestras, jogos tradicionais, arqueologia experimental, tiro com arco, etc.
Période(s) archéologique(s) :

Pré-história, Protohistória, Antiguidade, Idade média, Era moderna, Néolithique, Âge du bronze

Opérateur :

Associação de História e Arqueologia de Sabrosa

-Aménageur :

Associação de História e Arqueologia de Sabrosa

Acesso grátis

Todos os públicos

Norte, Viseu, Carregal do Sal

Núcleo Megalítico Fiais/Ameal

Fiais da Telha
3430-359 Carregal do Sal

Visita guiada a diversos monumentos arqueológicos integrantes do Circuito Pré-histórico Fiais/Azenha.

Visita guiada

Visita guiada ao Núcleo Megalítico Fiais/Azenha

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:00 à 12:00 Sábado, 19 de junho de 09:00 à 12:00 Sexta-feira, 18 de junho de 09:00 à 12:00

Todos os públicos

Norte, Viseu, Resende

Museu Municipal de Resende

Rua Dr. Amadeu Sargaço
4660-238 Resende

http://www.museuderesende.pt/

A rubrica quinzenal: “Vamos ao Museu!“ será dedicada aos sítios arqueológicos do concelho de Resende representados na sala de Arqueologia do Museu Municipal de Resende.

Durante os dias 19 e 20 de junho será apresentado nas redes sociais do município e nos sites da Câmara e Museu, um video com imagens reais dos sítios arqueológicos e imagens do espólio arqueológico em exposição acompanhados com locução.

Pretende-se com este video, dar a conhecer as principais estações arqueológicas de Resende e os vestígios provenientes das mesmas e em exposição no Museu Municipal de Resende.

Visitas presenciais grátis à sala de arqueologia do Museu Municipal de Resende.

Horários:
18 de junho: das 9h00 às 12h30 e das 13h30 às 17h00
19 e 20 de junho: das 10h às 12h30 e das 14h00 às 17h00

Norte, Viseu, Viseu

Polo Arqueológico de Viseu António Almeida Henriques (PAV)

Casa do Miradouro, Largo António José Pereira, Viseu 3500-080 Portugal

http://www.poloarqueviseu.pt/

Criado em 2019, o PAV agrega os recursos municipais dedicados à Arqueologia do concelho de Viseu, promovendo a recolha e salvaguarda, o inventário, a investigação e interpretação do património arqueológico e a sua mediação junto de diferentes públicos.

Visita guiada

Conhecer a Cava
Visita orientada por Catarina Tente, arqueóloga responsável pelos mais recentes estudos realizados neste monumento. Vamos ficar a conhecer o sítio, a sua história de investigação e as propostas interpretativas mais recentes.

Local de encontro: Cava de Viriato (frente à estátua de Viriato)
Lotação máxima: 15 participantes
Duração: 2h
Participação: Atividade gratuita, com inscrição prévia.
Marcações: casadomiradouro@cmviseu.pt ou 232 425 388

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30

Adultos

Oficina

Escavar como um arqueólogo
Vamos ocupar o jardins da Casa do Miradouro com uma oficina de escavação arqueológica.
Venha descobrir vestígios de passados remotos e desvendar as histórias que estes têm para nos contar!

Local: Casa do Miradouro
Lotação máxima: 12 participantes
Duração: 1h
Participação: Atividade gratuita, com inscrição prévia.
Marcações: casadomiradouro@cmviseu.pt ou 232 425 388

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 14:30 à 15:30 Domingo, 20 de junho de 10:30 à 11:30 et de 14:30 à 15:30

Crianças, Famílias